Você sabe o que é uma casa acessível? O uso de uma cadeira de rodas pode exigir reforma e reorganização dos espaços

Quem está planejando construir ou reformar tem a oportunidade de deixar a casa preparada
para quando a idade chegar ou para quando algum membro da família tiver de se locomover
em uma cadeira de rodas. Isso não é ficar pensando no pior, não, gente. É simplesmente
reconhecer que estamos vivendo mais e que um dia podemos não ter tanto domínio sobre
nosso corpo.

Nos anos 80, surgiu nos Estados Unidos o Desenho Universal, que reúne princípios para o
desenvolvimento de construções e produtos adequados ao uso de qualquer pessoa, seja ela
baixa, alta, anã, cadeirante, idosa, criança, adulta etc. Esse conceito está por trás da NBR 9050,
a norma brasileira de 2004 que trata sobre a acessibilidade a construções, mobiliários e
espaços em geral.

Condomínios, prédios de escritórios, repartições públicas e endereços comerciais são
obrigados a seguir a NBR 9050. Mas o mesmo não acontece comigo nem com você quando
contratamos um arquiteto para desenhar nossa casa. Porém, basta quebrar uma perna ou passar por uma crise aguda de dor na coluna para perceber o quanto é difícil subir aquele par de degraus até a porta de entrada, lavar a louça ou até mesmo tomar banho.

Por isso as casas acessíveis são tão legais – elas funcionam bem para todo mundo. Ou existe
alguma desvantagem em ter uma tomada a 40 cm do chão – altura apropriada para um
cadeirante – e não a 30 cm, como é padrão? É menos esforço e mais conforto para todos!

11 regrinhas básicas de acessibilidade

As 97 páginas da NBR 9050 trazem todo tipo de orientação para que um
ambiente, público ou privado, seja acessível a portadores de deficiência auditiva, visual ou de
locomoção. Aqui, eu separei umas poucas dicas para que um cadeirante tenha autonomia
dentro de casa. Para saber mais, consulte a norma.

  1. o vão das portas precisa medir 80 cm, no mínimo.
  2.  a largura mínima para o corredor é de 90 cm.
  3. o desnível entre a casa e a área externa não pode superar 0,5 cm.
  4. a porta do banheiro precisa abrir para fora.
  5. o desnível entre o piso da área do chuveiro e o restante do ambiente deve se limitar a
    1,5 cm.
  6.  no banheiro, é preferível cortina a boxe, para facilitar o acesso ao chuveiro e por causa
    da área de 1,20 x 1,50 m que a cadeira de rodas demanda para girar 180 graus.
  7. junto ao vaso sanitário, a parede lateral e a do fundo devem receber barras horizontais
    para apoio e transferência do cadeirante. O comprimento mínimo das peças é de 80
    cm e elas têm de estar a 75 cm do piso.
  8. a lavadora de roupas precisa ter abertura e comandos na frente.
  9. é preciso deixar um vão livre de no mínimo 73 cm entre o piso e o lado inferior de uma
    superfície de trabalho (a bancada da pia e a mesa de jantar, por exemplo). Já a altura
    do chão até o topo da superfície deve ficar entre 75 e 85 cm. Assim garante-se o
    encaixe da cadeira de rodas sob a bancada e o acesso a ela.
  10. enquanto as tomadas localizam-se na faixa entre 40 cm e 1 m do chão, interruptores e
    campainhas ficam entre 60 cm e 1 m.
  11. interfone, quadro de luz, comando de aquecedor e registro de pressão devem ser
    instalados entre 80 cm e 1 m do piso.

Observando as dificuldades por que passam as pessoas que têm a sua locomoção limitada,
vejo que já passou da hora de pensar nessas questões!

Beijo,

Mica

Deixe seu comentário