Como higienizar frutas e legumes Aprenda a remover sujeirinhas, desinfetar e reduzir a quantidade de agrotóxicos na casca dos vegetais que come

0

Pessoal, hoje eu quero bater um papo sério sobre limpeza… de frutas e legumes!

Afinal, se a gente faz de tudo para deixar a cozinha limpa e organizada, não dá para descuidar justamente quando o assunto é aquilo que a gente come, certo?

Eu adoraria lavar frutas e legumes assim que chego da feira ou do supermercado, como faço com a salada, mas descobri que esse ato de higiene acaba sendo prejudicial à qualidade do alimento. Dá para acreditar? Como eu mesma fiquei muito surpresa, resolvi escrever um post exclusivamente sobre a questão: se você ainda não o viu, clique aqui  e entenda tudo direitinho.

Foto: Monzenmachi/iStock

De qualquer forma, lavando com antecedência ou apenas na hora do consumo (conforme o vegetal), há um passo a passo a seguir.

Limpeza em água corrente

Se houver talos e outras partes não comestíveis, assim como pedaços machucados ou apodrecidos, retire-os sem dó nem piedade! Sabia que eles são a porta de entrada para mais bactérias e fungos?

Nessa lavagem inicial, use uma escovinha para esfregar os tubérculos – como as batatas – e os legumes e frutas que serão consumidos crus.

Vale lembrar que todos – T-O-D-O-S, viu? – os vegetais e frutas devem passar pela limpeza em água corrente, até aqueles que serão comidos sem a casca, como laranja e melancia. É que, com a faca ou mesmo com as mãos, a gente pode acabar levando para a polpa sujeiras que estão do lado de fora.

Lenda x ciência

Reza a lenda que a imersão em uma mistura de água e bicarbonato de sódio reduziria a concentração de pesticidas nos alimentos. Porém, segundo a nutricionista Viviani Fontana, conselheira do Conselho Regional de Nutricionistas – 3ª Região SP/MS, não existe evidência científica dessa ação. “Se há agrotóxico, ele está em todo o alimento e na lavagem não conseguimos retirá-lo”, explicou-me. E, se é para diminuir a quantidade só na casca, a lavagem cuidadosa – como eu ensino aqui – já faz isso, sendo o bicarbonato desnecessário.

Adeus, micro-organismos!

A última fase da higienização, que vale também para os orgânicos, pede que frutas e legumes fiquem imersos por 10 a 15 minutos em um produto para desinfecção de alimentos. Pode ser a água sanitária – desde que o rótulo informe que aquela marca específica pode ser usada para esse fim – ou algum outro produto à base de hipoclorito de sódio (que é o princípio ativo da água sanitária), de acordo com o Ministério da Saúde e a Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária). Se escolher a água sanitária, a concentração recomendada é de uma colher de sopa para cada litro de água. No caso dos outros produtos, siga as orientações do rótulo.  

Enxágue final

Depois dessas etapas, abra a torneira sobre os alimentos e permita que a água corrente leve embora os últimos resquícios de bactericida e micro-organismos.

Papel toalha para enxugar

Nada de deixar os vegetais molhados – a não ser que vá colocá-los na panela imediatamente. Seque-os muito bem com papel toalha, principalmente se for guardá-los por um ou dois dias.

Lição dada é lição aprendida, hein?!

Beijos,
Mica ♥

Você sabe porque só deve lavar a maior parte dos vegetais na hora de consumi-los? Eu te explico tudo o que aprendi com uma nutricionista e ainda conto quais são as exceções.

0

Até pouco tempo atrás, eu chegava das compras e já deixava todas as frutas e os legumes limpinhos e arrumados na geladeira, como faço com a salada. Mas, ao ler uma ou outra reportagem aconselhando transferir essa tarefa somente para o momento do consumo, fui aos especialistas para saber o porquê da recomendação. E aprendi com a nutricionista Viviani Fontana o seguinte: ao molhar frutas e legumes, a gente retira a proteção natural que eles têm. Enquanto alguns ficam úmidos – por mais que a gente os seque –, outros até absorvem a água, e em ambos os casos isto acelera a deterioração causada pela formação de fungos.

Foto: Samael334/iStock

Mas, poxa, na correria do dia a dia é difícil lavar tudo apenas na hora de comer, né? Quem é que faz uma criança aguardar a higienização de uma fruta enquanto a bolacha de chocolate está tão à mão? A doutora Viviani concorda e por isso deu algumas dicas bem práticas:

– Uva, pera, melancia, laranja, mexerica, melão, berinjela, vagem e abóbora:

Esses itens têm a superfície de casca mais firme e resistente – sua proteção natural. Podem ser lavados, enxugados cuidadosamente e mantidos em temperatura ambiente. Após cortados, devem ser mantidos em geladeira por até 2 dias.

– Maçãs e peras:

Se lavar, maçãs e peras, seque-as bem com papel toalha e coloque-as em uma fruteira separada. “Se forem para a geladeira, primeiro elas roubarão umidade do ar e depois perderão líquido, ficando franzidas e sem gosto”, explica a nutricionista.

-Frutas para consumir durante o dia:

Se quiser deixar algumas frutas prontas para o consumo no dia, é só lavar, descascar, cortar e acondicionar em potinhos – sem a tampa. E então vem o pulo do gato, segundo a doutora Viviani: “Cubra os potes com filme plástico e faça furinhos nele – pode usar um garfo – antes de levar as embalagens ao refrigerador. Os furinhos vão permitir que o ar frio circule e que a fruta não fique abafada, retardando o processo de deterioração”.

-Morangos, figos, pêssegos e abobrinhas:

Vegetais moles, leves e com a casca fininha parecem esponjas, de tanta água que  chupam. Por isso a sua lavagem deve ficar para a hora do consumo. É o caso de morango, figo, pêssego e abobrinha. “No caso do morango, duas a três horas após a lavagem ele já está mole e mais suscetível a fungos deteriorantes”, exemplifica a especialista.

“Mas, Mica, se eu puser um monte de alimentos sujos dentro da geladeira eles não irão contaminar os outros?” Pois é, eu também tinha essa preocupação, mas aí a doutora Viviani me tranquilizou, lembrando que, se os vegetais não lavados forem acondicionados na gaveta inferior da geladeira – justamente o lugar mais indicado, por causa da temperatura menos fria –, eles ficarão isolados daquilo que está pronto para ser devorado.

E ela ainda deu uma dica para tratar itens como os brócolis, que costumam vir cheios de folhas: “Antes de guardá-lo no gavetão, abra o maço sobre a pia e sacuda-o bem, deixando cair as sujeirinhas e insetos que eventualmente tenham aderido nas folhas”.

Olha, confesso que meu mundo caiu depois dessas descobertas. Mas já estou me esforçando para controlar o meu TOC e seguir as orientações. Afinal, é pelo bem da saúde da minha família!

Beijos,
Mica ♥