Receita da Vovó: Cocada de Forno Chegou o inverno e com ele aquelas delicias gostosas e quentinhas ♥

0

Quem é que não lembra das cocadas das festas, tenho certeza que marcou a infância de muitas pessoas, inclusive a minha!

E essa receita em especial é de minha mãe, Graça Góes, vocês tem alguma dúvida que eu amo? Ela tá lá no  Caderno de Receitas da Vovó Risoleta.

Vamos a receita?

Ingredientes

2 ovos inteiros;

2 xícaras de açúcar;

1 coco grande descascado e ralado (rale pela parte de fora);

2 colheres de sopa de manteiga;

2 colheres de sopa de queijo ralado;

Modo de Fazer

  1. Misture todos os ingredientes com as maos;
  2. Unte o refratário e leve ao forno até dourar;
  3. Depois de 30 min está prontinho!

Super fácil, hein?!

Beijos,

 

Mica e Vovó ♥

Como organizar as contas? Colocá-las em uma planilha é a forma mais garantida de não se esquecer de pagar nada!

0

Contas… Parece que elas se multiplicam, não? Às vezes, a gente recebe uma e quase pode
jurar que ela já foi paga naquele mês. Na correria do dia a dia, é fácil se perder em meio a
tantos boletos, o que é um atraso na vida, já que qualquer vacilo pode resultar em prazo
perdido, multa, juros e até suspensão do serviço. Mas não é tão complicado assim botar tudo
em ordem.

O primeiro passo é listar todas as despesas fixas do mês, criando uma planilha com quatro
colunas, nas quais você deve completar as seguintes informações sobre cada conta:
• data de vencimento;
• descrição (água, luz, telefone, mensalidade da escola, cartão de crédito etc.);
• valor;
• forma de recebimento (débito automático; boleto impresso, que chega pelo correio; fatura
digital, que você recebe por e-mail ou por mensagem de celular).

Feito isso, mantenha esse arquivo sempre atualizado e ao alcance – ele será seu aliado não só
para se organizar, mas também para controlar o orçamento, já que praticamente todos os
gastos obrigatórios estarão anotados ali.

Para não perder os prazos, recorra a um calendário. A versão eletrônica, disponível em
qualquer smartphone, é a mais indicada, pois permite criar alertas para cada vencimento. Caso
prefira, você pode usar um calendário tradicional, de folhinha, circulando em cor chamativa as
datas em que houver pagamentos a fazer.

Prevenir problemas é melhor que remediar

Sabe aquela quarta coluna da planilha? Ela é tão importante quantas as outras, pois cada
formato de conta requer um tipo de atenção. Quer ver?
Em relação às cobranças em débito automático, a principal preocupação é se certificar de que
haverá saldo em conta na data do pagamento para evitar aborrecimentos, como ter de usar o
limite de crédito. Por isso, eu recomendo que você programe os seus débitos para o mesmo
dia em que recebe o salário (ou o dia seguinte). E é sempre bom acompanhar os extratos
bancários para verificar se não houve cobrança indevida.
No caso dos boletos impressos, é preciso acompanhar seu recebimento ao longo do mês – se
algum deles não chegar até a proximidade do vencimento, será necessário providenciar a
segunda via. Você pode colocar todos os boletos em uma pasta ou prancheta, desde que
fiquem em local visível e acessado diariamente, o que funciona como mais um lembrete para
acertá-los.
Faturas digitais também podem sofrer problemas na entrega, portanto, fique de olho! Se você
está entre os que imprimem tudo, organize esses documentos da mesma forma que os
boletos. Se não imprime, recorra às pastas de computador para ordená-los.
Caso você costume agendar os pagamentos assim que as contas chegam, programando a
efetivação da operação para dias depois, no vencimento, confira no extrato bancário se eles
estão sendo realizados. Digo isso porque eu mesma acabo de receber um aviso de conta em
atraso da minha operadora de telefonia móvel – um pagamento que eu havia programado e,
não sei porque, não foi feito. Resultado: juros e multa me aguardam no próximo mês. 🙁

Imprevistos podem acontecer, mas viu como organizar as contas é moleza? Duro mesmo é
pagá-las.

Ah, não deixe de conferir o próximo post: eu falarei sobre comprovantes que precisam ser
arquivados e por quanto tempo.

 

Beijos,

Mica <3

SalvarSalvar

Como organizar a mudança de endereço – parte 3 Saiba o que fazer 3 dias da mudança.

0

Se você seguiu o roteiro de planejamento e preparativos até aqui, falta bem pouco! As últimas providências começam 3 dias antes.

Termine de empacotar o que falta, mantendo em separado os itens mais delicados e valiosos para que você mesma os leve. Cada um na família deve organizar uma mochila com algumas mudas de roupa, produtos de higiene pessoal, remédios de uso diário, carregador de celular e eletrônicos. Um kit básico de ferramentas é muito bem-vindo!

Foto: Jacoblund/iStock

Informe-se sobre o comércio nas redondezas da casa nova para saber a localização de mercados, farmácias, restaurantes e tudo o que puder ser útil no dia da mudança.

Cheirinho de casa nova e limpa!

Endereço novo pede uma faxina memorável, por isso leve para o local todos os materiais e utensílios de limpeza necessários. Se chamar uma diarista, pergunte se ela precisa de algum produto específico, a exemplo de removedores.

Foto: Freeimages/Lissandra Barros Mendonça

Como o imóvel estará vazio, capriche na limpeza dos rejuntes de pisos e paredes cobertos de cerâmica, nos rodapés, nas janelas e venezianas, no interior dos armários embutidos e nas louças sanitárias.

Certifique-se de que a equipe de mudança tem todos os dados corretos, incluindo os dois endereços e os seus contatos. Em caso de prédios com zelador, relembre-os da mudança e informe horários e nomes das pessoas envolvidas.

Na véspera do dia D, a geladeira deve ser esvaziada e desligada — mantenha-a com as portas abertas para que seque bem. Caso tenham restado alguns alimentos nela, coloque-os em bolsas térmicas ou em um cooler. E verifique o manual do equipamento: após a movimentação, vários aparelhos exigem que se aguardem algumas horas antes de religá-los.

Viu, só? Não foi tão difícil assim!

Como organizar a mudança de endereço – parte 2 Vamos pra segunda parte dessa série sobre mudanças! Agora que você já planejou tudo direitinho, dê a largada nos preparativos 15 dias antes da mudança.

0

Lembra daquela lista de empresas que precisam ser avisadas da mudança de endereço que eu mencionei no post anterior? Comece a fazer as notificações e a agendar as visitas dos instaladores. Vale, ainda, já alterar seu cadastro em sites de e-commerce.

Caso aproveite a ocasião para trocar um móvel ou eletrodoméstico, verifique as dimensões do produto para saber se ele cabe no novo lar. Confira o prazo de entrega – caso ela aconteça antes da mudança, certifique-se de que haverá alguém para receber a encomenda.

Foto: GPointStudio/iStock

Se você mora ou vai morar em apartamento, avise ao síndico sobre a mudança, pois muitos condomínios possuem restrições de dia e horário. Não é questão de burocracia. A medida ajuda todo mundo a se programar, reduzindo transtornos no uso do elevador ou evitando que duas mudanças aconteçam na mesma data. Conversando, é possível até reservar uma área de estacionamento para o caminhão.

Aliás, quanto mais perto ele conseguir parar (tanto no endereço antigo quanto no novo), mais ágil será o processo de carregar as caixas de um lado para o outro. Dê uma olhada na disponibilidade de vagas na rua e verifique se no dia haverá feira livre ou algum outro evento que prejudique o trânsito ao longo do trajeto ou nas proximidades.

Decidir quem fará a mudança merece atenção. Peça indicações a conhecidos, pesquise a reputação das empresas na internet e faça vários orçamentos. Algumas transportadoras realizam somente o carreto, enquanto outras oferecem o serviço de embalagem e a opção de um seguro – e aí, é claro, há uma diferença e tanto no preço.

Se você e sua família forem empacotar tudo, providencie o material: caixas, fita adesiva, plástico bolha, jornal, etiquetas…

Faça a triagem do que vai e do que fica

Você não achou que eu esqueceria de recomendar uma minuciosa triagem, não é mesmo? Os dias anteriores à mudança são a ocasião ideal para empacotar o que é bom e tem serventia e se desfazer daquilo que não presta mais e deve ir para o lixo, reciclável ou não. Com certeza você também encontrará utensílios, brinquedos e roupas que não são mais usados, porém estão em bom estado – encaminhe-os para doação.  

Planeje-se para realizar uma triagem em cada um dos ambientes da casa antes de encaixotar seus pertences – nada de levar coisas inúteis para o novo lar! Nem de dar conta de tudo sozinha: envolva sua família no processo. Ao embalar, inicie pelos itens de uso mais remoto e não encha demais as caixas: vá testando o peso à medida em que coloca as coisas. Anote em cada caixa o conteúdo.

Outra providência importante é programar as compras de alimentos para tentar consumir tudo até o dia da mudança. Mas, se perceber que restarão alguns itens na geladeira, verifique se a transportadora disponibiliza bolsas térmicas e coolers para o dia da mudança ou providencie você mesmo esses acessórios.

Por fim, peça a algum parente ou amigo que fique com as crianças no dia da mudança. O mesmo vale para os bichos de estimação, que podem, ainda, ir para um hotel ou creche.

O dia está chegando! No próximo post, falo sobre os últimos preparativos.

Beijos,
Mica ♥