E se o gato fizer xixi no sofá ou nos livros? Descobrir o porquê do ato é importante, mas urgente mesmo é limpar o resíduo e impedir que o cheiro fique entranhado

0

Um belo dia seu bichano lhe presenteia com um xixi fora do lugar. E aí? Quando isso acontece
em um piso frio, até que vai, mas se o alvo é um tapete, colchão ou estofado… Ai, ai, só quem
já experimentou o cheiro da urina do gato sabe o quanto ele é forte e persistente – culpa da
amônia presente em sua composição.

Como não adianta chorar sobre o xixi derramado, em vez de se desesperar, aja com eficiência.
O primeiro passo é colocar algumas folhas de papel toalha em cima da pocinha para absorver o
excesso. Não esfregue jamais! Isso só faz a urina se espalhar e penetrar mais fundo na trama.

O passo seguinte é limpar a mancha. Apesar de conhecer muitas receitas caseiras testadas por
donos de gatos – a maior parte delas à base de vinagre, bicarbonato de sódio e até água
oxigenada –, eu ainda acho que a situação pede uma solução mais certeira. E nada me parece
tão eficiente quando os eliminadores enzimáticos de odor, facilmente encontrados em
grandes pet shops (já falei sobre eles aqui). Esse tipo de produto não serve apenas para
mascarar o cheiro, mas para acabar com as substâncias que o provocam, já que sua fórmula
não possui nada além de microrganismos especialistas na decomposição de restos de fezes e
urina.

Agora, se quem levou aquele banho de xixi foi um livro, o bicarbonato pode ajudar muito.
Antes de qualquer coisa, recorra ao papel toalha para absorver o excesso de líquido. Em
seguida, coloque o livro dentro de um saquinho plástico com fecho hermético e polvilhe
bicarbonato em toda a área atingida. Feche a embalagem e deixe-a assim por alguns dias,
sacudindo-a de vez em quando a fim de espalhar bem o pó. Uma semana costuma ser
suficiente para reverter o estrago. 😉

Beijão,

Mica

 

Por que não se deve arear panelas de alumínio? Que nos perdoem as nossas avós, mas elas estavam erradas quando nos ensinaram a polir as panelas. Há outros meios de deixar os utensílios limpos e brilhantes sem prejudicar a saúde

0

Se a gente tomar ao pé da letra, o verbo arear significa usar areia para limpar ou polir alguma
coisa. E como nossas avós, bisavós e outras mais já arearam! Com areia, saponáceo ou mesmo
palha de aço. Mas hoje já se sabe que essa prática tão antiga para clarear panelas e tabuleiros
de alumínio escurecidos pode fazer mal à saúde – e não só à do braço que esfrega e esfrega e
esfrega.

Quando a gente passa qualquer material abrasivo em um recipiente de alumínio – até mesmo
garfos e colheres –, micropartículas do metal se soltam. E o alumínio que a gente ingere e se
acumula no organismo poderia estar por trás de doenças como Mal de Parkinson e Mal de
Alzheimer, o que a ciência ainda não conseguiu comprovar nem descartar de vez.
Mas, não é porque o excesso de alumínio talvez contribua para doenças graves, que está
proibido o uso de panelas feitas desse metal. Podemos usá-las, sim. Mas devemos cuidar bem
das peças e nunca empregar palha de aço nem o lado grosso da esponja ao lavá-las. Ou seja,
arear? Nem pensar!

Mas como é que eu faço quando a panela queima, Micaela? Deixo
preta?

Não, de forma alguma. Existem várias dicas caseiras eficientes e seguras para trazer o brilho de
volta a esses utensílios. Aliás, a eles e aos feitos de inox, outro material que escurece conforme
o uso no fogão.

Quando a lavagem comum não dá conta de clarear as peças, você pode:

– levar a panela ao fogo com água e algumas rodelas de limão. Deixar ferver por alguns
minutos;

– ou polvilhar bicarbonato de sódio dentro da assadeira, jogar água fervente e esperar agir por
15 minutos. Se for uma panela, ponha a água para ferver com o bicarbonato

– ou jogar ketchup nas partes queimadas e, após 15 minutos, retirá-lo com papel toalha e,
então, esfregar um limão cortado ao meio.

Se escolher qualquer um desses métodos, depois é só lavar a panela do modo tradicional, com
água, detergente e o lado macio da esponja para que ela fique reluzente.
Outra opção, ainda, é usar um detergente caseiro perfeito para itens de alumínio. Você vai
precisar de:

– 500 ml de água
– 1 barra de sabão de coco
– 2 limões
– 2 colheres (sopa) de açúcar
Rale o sabão, despeje-o em uma panela com a água e leve-a ao fogo. Depois que dissolver
bem, desligue e acrescente o suco dos limões e o açúcar. Espere esfriar e transfira o
detergente para uma garrafa ou borrifador. Está pronto o seu detergente!

E se a panela estiver queimada por fora?

Se for o lado externo do utensílio que tiver escurecido, minha receita favorita é virá-la com a
boca para baixo, cobrir o fundo externo com uma folha de papel toalha e umedecê-la por
inteiro com vinagre branco. Aguarde 10 minutos e então lave. É tiro e queda!

Já vi várias receitas caseiras na internet, porém ainda não tive tempo de testar todas. E como
essas que ensinei aqui são fáceis e rápidas, acabo deixando as outras para depois. Mas se você
tiver uma dica sensacional, me mande!

Beijos,

Mica

 

 

Como higienizar frutas e legumes Aprenda a remover sujeirinhas, desinfetar e reduzir a quantidade de agrotóxicos na casca dos vegetais que come

0

Pessoal, hoje eu quero bater um papo sério sobre limpeza… de frutas e legumes!

Afinal, se a gente faz de tudo para deixar a cozinha limpa e organizada, não dá para descuidar justamente quando o assunto é aquilo que a gente come, certo?

Eu adoraria lavar frutas e legumes assim que chego da feira ou do supermercado, como faço com a salada, mas descobri que esse ato de higiene acaba sendo prejudicial à qualidade do alimento. Dá para acreditar? Como eu mesma fiquei muito surpresa, resolvi escrever um post exclusivamente sobre a questão: se você ainda não o viu, clique aqui  e entenda tudo direitinho.

Foto: Monzenmachi/iStock

De qualquer forma, lavando com antecedência ou apenas na hora do consumo (conforme o vegetal), há um passo a passo a seguir.

Limpeza em água corrente

Se houver talos e outras partes não comestíveis, assim como pedaços machucados ou apodrecidos, retire-os sem dó nem piedade! Sabia que eles são a porta de entrada para mais bactérias e fungos?

Nessa lavagem inicial, use uma escovinha para esfregar os tubérculos – como as batatas – e os legumes e frutas que serão consumidos crus.

Vale lembrar que todos – T-O-D-O-S, viu? – os vegetais e frutas devem passar pela limpeza em água corrente, até aqueles que serão comidos sem a casca, como laranja e melancia. É que, com a faca ou mesmo com as mãos, a gente pode acabar levando para a polpa sujeiras que estão do lado de fora.

Lenda x ciência

Reza a lenda que a imersão em uma mistura de água e bicarbonato de sódio reduziria a concentração de pesticidas nos alimentos. Porém, segundo a nutricionista Viviani Fontana, conselheira do Conselho Regional de Nutricionistas – 3ª Região SP/MS, não existe evidência científica dessa ação. “Se há agrotóxico, ele está em todo o alimento e na lavagem não conseguimos retirá-lo”, explicou-me. E, se é para diminuir a quantidade só na casca, a lavagem cuidadosa – como eu ensino aqui – já faz isso, sendo o bicarbonato desnecessário.

Adeus, micro-organismos!

A última fase da higienização, que vale também para os orgânicos, pede que frutas e legumes fiquem imersos por 10 a 15 minutos em um produto para desinfecção de alimentos. Pode ser a água sanitária – desde que o rótulo informe que aquela marca específica pode ser usada para esse fim – ou algum outro produto à base de hipoclorito de sódio (que é o princípio ativo da água sanitária), de acordo com o Ministério da Saúde e a Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária). Se escolher a água sanitária, a concentração recomendada é de uma colher de sopa para cada litro de água. No caso dos outros produtos, siga as orientações do rótulo.  

Enxágue final

Depois dessas etapas, abra a torneira sobre os alimentos e permita que a água corrente leve embora os últimos resquícios de bactericida e micro-organismos.

Papel toalha para enxugar

Nada de deixar os vegetais molhados – a não ser que vá colocá-los na panela imediatamente. Seque-os muito bem com papel toalha, principalmente se for guardá-los por um ou dois dias.

Lição dada é lição aprendida, hein?!

Beijos,
Mica ♥