A hora certa de lavar itens de cama, mesa e banho Quer saber qual é a frequência ideal para a lavagem de toalhas, lençóis, cobertores, panos de prato e afins? Este post vai acabar com as suas dúvidas!

0

De quanto em quanto tempo você troca a toalha usada por uma limpa? E o lençol, o pano de
prato, o tapetinho do banheiro? Quem convive comigo sabe que eu faço questão de lavar
esses e outros itens de cama, mesa e banho com bastante frequência. E garanto que minha
atitude está bem longe de ser frescura ou simples “mania de limpeza”: é questão de saúde!

Então, bora bater um papo sobre os seres microscópicos que habitam essas peças e conferir
quando é hora de levá-las ao tanque ou à máquina de lavar? Prometo que a ideia não é
exagerar na dose e acabar desgastando os tecidos, muito menos desperdiçar água e outros
recursos. Vamos manter um olho na higiene e outro na consciência.

BANHEIRO

Toalha de banho: a cada três dias

Começo pela informação que considero mais impactante: a toalha de banho, aquela delícia
felpuda que passamos em todo o corpo quando acabamos de nos lavar, costuma ser um
verdadeiro caldinho de fungos, vírus e bactérias. Parece estranho, mas é a mais pura verdade.

Isso porque ela não absorve apenas água, mas também uma longa lista de coisas que não
enxergamos, como pele morta e secreções corporais de todos os tipos.

O pior é que os agentes transmissores de doenças se desenvolvem que é uma beleza na
umidade. Aí, já viu… enquanto a toalha não seca completamente, eles deitam e rolam.

Eu já ouvi um microbiologista dizer que a toalha deve ser substituída dia sim, dia não. Também
já vi a sugestão de utilizá-la no máximo três vezes. Aí, depende de quantos banhos se toma por
dia, né? E depende também de que a toalha seque 100% entre um uso e outro, pois enquanto
houver uma gotinha de água nela, a balada dos micróbios segue a todo vapor. Por isso, se o
seu banheiro for pouco ventilado, leve a toalha para secar no varal da área de serviço ou em
outro ambiente arejado.

Garantindo a secagem completa entre os banhos, eu acredito que a troca a cada três dias seja
uma boa medida, também considerando a necessidade real de economizar água.

Toalha de mãos e rosto: todos os dias

As toalhas que atendem à pia pedem atenção especial. Em geral utilizadas por mais de uma
pessoa, muitas vezes servem de veículo para doenças infectocontagiosas, como gripe e
conjuntivite.

Claro que pode acontecer de só uma pessoa usar o banheiro e, nesse caso, eu sugiro lavar a
toalhinha a cada três dias, seguindo o ritmo da toalha de banho.

Em todas as outras situações, o melhor é mandá-la para o cesto de roupa suja diariamente. E
digo mais: se houver hóspedes ou convidados em casa, considere deixar nas imediações da pia
um cesto com pelo menos três exemplares limpos.

Tapete do banheiro: semanalmente

O banheiro deve ser limpo toda semana, não é mesmo? Pois aproveite o dia da faxina para
substituir a peça suja por outra bem limpinha.

QUARTO

Roupa de cama: toda semana

Confesso que, não fosse a minha consciência ambiental, eu faria questão de lavar fronhas e
lençóis pelo menos duas vezes por semana. Sabe por quê? Porque há estimativas de que
perdemos cerca de 1 litro de suor e milhares de células todas as noites. Sem falar nos ácaros
que se alimentam disso tudo.

Os microbiologistas pegam leve em relação à substituição da roupa de cama, garantindo que
uma vez por semana é suficiente. Sigo a recomendação, mas me encho de alívio e alegria
quando chega o dia da troca!

Cobertores e edredons: duas vezes por ano

É indispensável usar o lençol de cima para evitar que cobertores e edredons tenham contato
direto com o nosso corpo. Do contrário, eles precisariam ser lavados toda semana – já pensou
na trabalheira?

Para a nossa sorte, a proteção do lençol possibilita que esses itens pesados sejam levados à
máquina (em casa ou na lavanderia) apenas duas vezes por ano, sendo o momento mais
importante justamente o fim do inverno. Assim eles podem ser guardados limpinhos e passam
o verão livres da companhia de ácaros e fungos.

Mantas e colchas: mensalmente

Elas também são usadas sobre o lençol, mas, como são mais leves que cobertores, podem ser
lavadas com mais frequência, uma vez ao mês.

COZINHA

Pano de prato: a cada dois dias

Uma boa prática é ter sempre dois exemplares na ativa: um exclusivamente para enxugar a
louça e outro para secar as mãos. Assim, a substituição pode acontecer a cada dois dias, caso o
uso da cozinha seja moderado. Agora, se você cozinha pra dedéu, não tem jeito, não: a
recomendação é trocar os panos de prato diariamente.

Toalha de mesa: semanalmente

Se ela e os jogos americanos de tecido resistirem uma semana inteira sem manchas nem
acidentes, maravilha! Basta sacudi-los todos os dias e trocá-los uma vez por semana.

Tapete da cozinha: semanalmente

Como ele costuma ficar junto da pia, recebe tudo quanto é tipo de “arremessos”: água e
espuma que espirram quando se lava a louça, terrinha que vem nas verduras, farelo de pão
etc. Só por isso já são muitos os motivos para lavar a passadeira uma vez por semana.

Mas, mesmo que na aparência esteja tudo bem com ela, lembre-se de que os micróbios são o
quê? Invisíveis, minha gente! E em um ambiente tão delicado e sujeito a contaminações como
a cozinha, não vale a pena bobear na higiene, não é mesmo?

Até o próximo post!

Beijos,
Micaela

Pia da cozinha limpinha, limpinha Aprenda a dar um bom trato naquela que recebe toda a sua louça suja – ela merece!

0

Uma coisa as pias de cozinha têm de sobra: matéria orgânica. São restinhos de vegetais, a água
ensanguentada que sai da carne, os fragmentos de frango, gorduras de todos os tipos e por aí
vai. Tudo isso é prato cheio para as bactérias, que, na verdade, precisam de muito pouco para
crescer, já que são microscópicas. Imagine, então, o que acontece quando elas dispõem de
toda essa fartura… Só de pensar, dá nojo.

É por isso que vale a pena gastar uns minutinhos na limpeza profunda da pia, tanto da cuba
quanto da bancada. E eu não estou falando de despejar litros de desinfetante, não, mas de
esfregar os cantinhos e remover partículas agarradas que podem até parecer inocentes, mas
são o real problema.

Vamos ver como fazer isso?

Você vai precisar de:
– bicarbonato de sódio
– água quente
– detergente
– luvas
– esponja ou pano de microfibra

– escova de dentes usada e desinfetada (veja como desinfetá-la aqui)

O procedimento é assim:
1. Depois de lavada a louça, esvazie a cuba e o tampo da pia e então polvilhe o
bicarbonato na superfície, cobrindo tudo.
2. Calce as luvas e, com a ajuda da escova de dentes, leve o bicarbonato até os cantinhos
e o ralo.
3. Aplique detergente na esponja, adicione água quente e comece a esfregar: inicie das
beiradas para o centro e de cima para baixo. Dessa forma, a água suja vai escorrer em
direção aos trechos ainda não limpos. Nos cantinhos, use a escova de dentes.
4. Vá adicionando água quente e detergente aos poucos, conforme passar de uma área
para outra.
5. Se perceber que algumas sujeirinhas resistem, repita todo o procedimento nos pontos
específicos.
6. Enxague e seque tudo com um pano limpo.
Realize essa limpeza caprichada uma ou duas vezes por semana, tá?

Agora é a vez do ralinho da pia

Você vai precisar de:
– bicarbonato de sódio
– sal
– água morna
– água fervente

O procedimento é assim:
1. Misture 2 colheres de sopa de bicarbonato, 2 de sal e complete a xícara com água
morna.
2. Despeje essa mistura no ralo da pia.
3. Agora jogue a mesma quantidade de água fervente.
Fazendo isso a cada 15 dias, você evita que o ralo fique entupido e sujo.

Beijos e até o próximo post!

Mica ♥

E se o gato fizer xixi no sofá ou nos livros? Descobrir o porquê do ato é importante, mas urgente mesmo é limpar o resíduo e impedir que o cheiro fique entranhado

0

Um belo dia seu bichano lhe presenteia com um xixi fora do lugar. E aí? Quando isso acontece
em um piso frio, até que vai, mas se o alvo é um tapete, colchão ou estofado… Ai, ai, só quem
já experimentou o cheiro da urina do gato sabe o quanto ele é forte e persistente – culpa da
amônia presente em sua composição.

Como não adianta chorar sobre o xixi derramado, em vez de se desesperar, aja com eficiência.
O primeiro passo é colocar algumas folhas de papel toalha em cima da pocinha para absorver o
excesso. Não esfregue jamais! Isso só faz a urina se espalhar e penetrar mais fundo na trama.

O passo seguinte é limpar a mancha. Apesar de conhecer muitas receitas caseiras testadas por
donos de gatos – a maior parte delas à base de vinagre, bicarbonato de sódio e até água
oxigenada –, eu ainda acho que a situação pede uma solução mais certeira. E nada me parece
tão eficiente quando os eliminadores enzimáticos de odor, facilmente encontrados em
grandes pet shops (já falei sobre eles aqui). Esse tipo de produto não serve apenas para
mascarar o cheiro, mas para acabar com as substâncias que o provocam, já que sua fórmula
não possui nada além de microrganismos especialistas na decomposição de restos de fezes e
urina.

Agora, se quem levou aquele banho de xixi foi um livro, o bicarbonato pode ajudar muito.
Antes de qualquer coisa, recorra ao papel toalha para absorver o excesso de líquido. Em
seguida, coloque o livro dentro de um saquinho plástico com fecho hermético e polvilhe
bicarbonato em toda a área atingida. Feche a embalagem e deixe-a assim por alguns dias,
sacudindo-a de vez em quando a fim de espalhar bem o pó. Uma semana costuma ser
suficiente para reverter o estrago. 😉

Beijão,

Mica

 

5 grandes acertos na limpeza da cozinha Você já parou para pensar se a rotina que criou para deixar a cozinha em ordem é a mais eficiente? Chegou a hora de se questionar e melhorar o que for necessário!

0

Às vezes, é preciso observar alguém limpando a cozinha – ou qualquer outro local – de uma
forma diferente da nossa para só então nos darmos conta de que nem todo mundo faz tudo
do mesmo jeito. E, aí, ou a gente aprende ou a gente ensina.

E é isso o que quero compartilhar. Tudo porque me lembrei de uma ocasião em que, passando
na casa de uma amiga justamente no dia da faxina, notei que a diarista dela iniciava a limpeza
pelo chão. Eu fiquei realmente surpresa porque, até então, tinha certeza de que todo mundo
começava igualzinho a mim, batendo cortinas e tirando o pó dos móveis – afinal, a poeira cai e
vai parar aonde? No piso, né? Então, se ele já foi limpo, é trabalho perdido e, depois, trabalho
dobrado. Expliquei isso pra moça e ela ficou toda contente por aprender algo novo.

Então hoje eu reuni esta e outras quatro regrinhas de ouro que valem para a casa inteira, mas
principalmente para o dia a dia da cozinha. Vamos lá!

1. Inicie a arrumação pela louça e deixe o chão para o fim

Se a sua cozinha tem bancada de refeições ou mesa, você já sabe como é: basta o café da
manhã para o piso ficar cheio de migalhas e respingos de líquidos, principalmente se houver
crianças em casa. De nada adianta correr para pegar a vassoura e o pano de chão pois, quando
você e a sua família tirarem a louça suja, outras sujeirinhas vão acabar caindo. Não importa se
você está dando um tapinha na cozinha ou limpando pra valer: o piso fica por último.

2. Use esponjas macias e panos de microfibra

O papel toalha é super conveniente: mal alguma coisa derrama, a gente arranca algumas
folhas do rolo, seca o que tiver de secar e joga aquele monte de papel molhado no lixo. Mas e
o desperdício, minha gente? Onde fica o discurso de sustentabilidade? No lixo, né, junto com a
maçaroca de folhas. Para a maioria das situações, esponjas macias e panos – principalmente
de microfibra, que não solta fiapos – são tão ou mais eficientes que o papel toalha, que deve
ser reservado para situações críticas, como a limpeza grossa de um fogão extremamente
engordurado.

3. Escolha produtos de limpeza adequados

Apesar de vários limpadores se apresentarem como multiuso, tome cuidado, pois eles podem
acabar danificando superfícies mais delicadas, como as de mármore e madeira. Os mármores
claros, por exemplo, são muito sensíveis e não gostam nem de substâncias ácidas, como
vinagre e limão, nem de detergentes coloridos – ambas as categorias oferecem risco de
manchas. Para uma limpeza eficiente e que não danifique nada, leia sempre os rótulos dos
produtos antes de utilizá-los.

4. Sujou, limpou na hora

Eu sei que às vezes a gente se atrasa e sai de casa deixando tudo de pernas para o ar. Mas isso
deve ser a exceção. Organizar-se significa se programar para cuidar da louça ao término de
cada refeição – mesmo que essa não seja a ‘sobremesa’ desejada após um longo jantar com os
amigos. No dia seguinte, quando acordar, você vai agradecer por encontrar a cozinha limpa e
nenhum rastro de insetos que adorariam ter se fartado nos pratos e copos sujos!

5. Higienize a esponja de cozinha

Você lava a esponja de louça com água e sabão? Não? Hum, pois saiba que poucas coisas
numa casa reúnem tantas bactérias e fungos quanto ela. Por isso, sempre que terminar de
lavar a louça, limpe o utensílio com água e sabão, enxágue bem até eliminar todos os resíduos
(de espuma, inclusive!) e então esprema a esponja para secá-la.

Mas esta é a limpeza básica: existe, ainda, a higienização, que deve ser feita toda noite (caso
você cozinhe diariamente) ou a cada três ou quatro dias. É assim: após a limpeza básica, ferva
a esponja em uma panela com água por 10 minutos. Outra opção é levá-la ao micro-ondas por
2 minutos em uma tigela com água. Usando luvas, aperte bem a esponja para retirar toda a
sua umidade e guarde-a em local seco e arejado.

Gostou das dicas? Você tem alguma outra regrinha de ouro válida para a limpeza da cozinha?
Me conta!

Beijos,

Mica