Onde mora a beleza

0

Maquiagem, pinceis, esmaltes, cremes, secadores de cabelo e por aí vai. Se não faltam apetrechos de beleza, tem de haver organização de sobra

Quem se contenta com um ou dois batons, um lápis de olho, um creminho pro dia e outro pra noite guarda tudo em um nécessaire e pronto. Mas o que acontece quando os produtos de beleza somam dezenas e dezenas de exemplares?

Você sabe o que eu penso sobre o acúmulo: se há coisas demais, parte delas a gente nem sabe que existe. Pior: muitas devem estar vencidas. Então, antes de definir como vai organizar a bagunça, eu sugiro que coloque em prática o método dos baldes.

É fácil! Em um balde vermelho, descarte o que é lixo. Em um amarelo, centralize aquilo que pode ser doado. Finalmente, coloque no balde verde tudo o que você usa e vai manter.

Agora, sim, dá para ter uma ideia real do que há para ser guardado. E aí você pode pensar em como fazê-lo, conforme o espaço de que dispõe. E não é que tudo precise ficar reunido no mesmo lugar. O importante é separar por categorias, pensando, ainda, em onde e em que momento você usa cada coisa.

Caso disponha de uma penteadeira no quarto, maravilha! Nada melhor que juntar ali perfumes, maquiagem, cremes e loções para o rosto, cosméticos para o cabelo e o kit de manicure. Já os produtos destinados ao banho devem ficar no chuveiro, claro.

Mas se a penteadeira for apenas um sonho distante e a realidade for um quarto e um banheiro pequenos, não se desespere: há jeito pra tudo na vida! As fotos que selecionei para este post são a prova disso. Elas mostram, por exemplo, como aproveitar um cantinho vizinho ao espelho com prateleiras. Ou a lateral do gabinete com um cestinho e o verso da porta com ganchos. E nesses suportes você organiza tudo da forma mais prática para a sua rotina.

Quer ver como dá certo? Eu comento um pouco cada ideia.

Painel magnético para um kit compacto

Que tal pendurar um quadro no banheiro ou no quarto? Um quadro decorativo que é funcional, mas também acaba valorizando a decoração. Você pode montar o seu pintando o fundo de uma moldura com tinta magnética, por exemplo. Ou pode comprar um painel metálico pronto.

Aí é só colar pequenos ímãs na base de estojinhos de sombra, blush e pó compacto. Em batons, lápis e esmaltes, melhor aplicar os ímãs na lateral dos itens. Reserve um espaço para cestinhos – bem leves – e preencha-os com pinceis e outras miudezas.

Nada mais versátil que uma sapateira plástica

Pendurada na parede ou atrás da porta do banheiro, ela será igualmente útil. Apesar de existirem lindas sapateiras coloridas, as transparentes ganham em praticidade, pois permitem ver o que está acondicionado. A minha dica é não misturar itens de diferentes categorias em cada bolso. Assim, os batons ficam juntos – mesmo que em mais de uma divisória –, bem como os esmaltes, os blushes, as loções de limpeza etc.

Para cada função, um espaço determinado

Preciso explicar?! 😊 Os produtos ficam tão bem organizados neste suporte que dá gosto olhar! Caso não encontre um modelo igual, reproduza a ideia fixando três pequenas prateleiras ao lado do espelho. Ou deixe três caixinhas sobre a bancada da pia. Ou com um gaveteiro como o da foto. O que importa é manter separados os itens de cabelo, de cuidados com a pele e de maquiagem.

Parece uma cômoda em miniatura

Organizadores de acrílico e com gavetinhas existem em diversas configurações, mas eu acho este um tamanho na medida. Uma forma eficiente de arrumá-lo é concentrar os cremes em uma divisória; todos os cosméticos para olhos em outra; os de rosto em uma terceira; e batons e glosses na última. Na parte de cima, vão os itens maiorzinhos e aqueles usados a todo momento. Se precisar, reúna bisnagas e potes altos em latas charmosas e copinhos, como na foto.

Cada um no seu quadrado, dentro da gaveta

Foto: Reprodução Good House Keeping

Se puder reservar parte do gabinete da pia para seu kit de beleza, saiba que existem organizadores para gavetas. Eu gosto muito dos que oferecem tamanhos variados de nichos e são empilháveis. Assim eles se adaptam melhor ao espaço que a gente tem.

Identificação por cores

Foto: Reprodução Blue I Style

Quem tem um monte de esmaltes pode reuni-los em uma caixa e, ainda assim, visualizar todos os tons de uma só vez. É só pingar uma gotinha de cada esmalte na própria tampa. E, claro, deixar os azuis com os azuis, os vermelhos com os vermelhos, os nudes com os nudes…

Secadores, chapinhas e cia

Não adianta querer deixar esses equipamentos no fundo de um armário ou em lugares praticamente inacessíveis. Eles precisam ficar à mão e no ambiente onde são usados. Como nas duas situações ilustradas acima.

Caso haja espaço na lateral do armário sob a pia, a sugestão é pendurar ali um arquivo de tela metálica – daqueles de escritório mesmo – e guardar nele o secador, a chapinha e o babyliss. Se não for possível, tente o verso da porta do gabinete, valendo-se de ganchos fixados com fita adesiva forte.

Colocando essas ideias em prática, não é só você que fica linda: sua casa também!

Beijo

O guia prático dos congelados – nível básico Deixe que digam, que pensem, que falem... saber aproveitar os benefícios do congelamento de alimentos é uma das melhores coisas que você pode fazer pela sua cozinha e pela sua saúde!

0

Já ouvi dizer que comida congelada é sinônimo de comida sem afeto. Hum, será
mesmo? Outra ideia comum: a de que, depois de uma temporada no freezer, os
alimentos ficam menos nutritivos, sem sabor e com a textura esquisita.

Olha, vamos por partes, como diria Jack. Para começar, eu diria que uma
prática que ajuda a evitar o desperdício de alimentos e a ter comida caseira no
prato todos os dias (mesmo nos mais corridos) transborda afeto, na verdade.

Quanto à perda de nutrientes, ela existe e fica em torno de 10% a 15%. Eu,
particularmente, acho que, se não dá para cozinhar diariamente, vale a pena
abrir mão dessa quantidade de vitaminas para ganhar os benefícios que listei
acima.

Agora, sobre a alteração no sabor e na textura dos alimentos, a questão é que
não basta ir enfiando tudo no freezer de qualquer jeito. Existem regrinhas que
fazem toda a diferença na hora de congelar e descongelar diferentes alimentos.
Vamos conferir as essenciais? Com elas, já dá para fazer um bom proveito do
congelador.

• Alguns itens ficam com a textura tão diferente da original depois de
descongelados que realmente não vale a pena. Eis os principais: batata cozida,
ovo cozido e ovo cru na casca, clara em neve, chantilly, maionese, iogurte,
cremes à base de amido de milho, creme de leite, gelatina, frituras e vegetais que
se deseja consumir in natura (isso vale para frutas, salada etc.).

• Por falar em vegetais, em geral eles pedem um cuidado extra, chamado de
branqueamento. Não é nada de outro mundo: é só lavar, picar, escaldar em
fervura por 2 a 3 minutos, passar na água gelada e secar bem antes do
congelamento.Uma dica para preservar a cor original dos legumes é acrescentar, na água da
fervura, uma pitada de sal se eles forem verdes ou amarelos, ou uma colherinha
de vinagre se forem brancos ou vermelhos.

Como a lista dos vegetais que precisam passar pelo branqueamento é imensa –
incluindo abobrinha, beterraba, batata, berinjela, brócolis, espinafre… –, fica
mais fácil listar aqui aqueles que não precisam: couve, pimentão, ervilha e
mandioca.

• Não compre polpa! Frutas picadas congeladas podem virar um belo suco
natural a qualquer hora.

• No caso de aves, peixes, leite e laticínios em geral, o descongelamento deve ser
o mais lento possível, ou seja, dentro do refrigerador. Ah, vale a pena saber: com
exceção da ricota e do queijo fresco – que se congelados só poderão ser usados
posteriormente em misturas –, os demais estão liberados para o freezer,
incluindo o queijo ralado.

• O ideal é consumir o alimento até 24 horas depois do descongelá-lo, portanto,
congele sempre em porções pequenas.

Nos próximos posts vamos avançar para os níveis intermediário e avançado,
combinado?

Beijos,

Mica ♥

Tudo à mão para o churrasco! A organização ajuda a aproveitar esse momento sem se estressar.

0

Vamos combinar que ficar num eterno vaivém entre a churrasqueira e a cozinha não está com nada. Então a dica é manter perto da grelha todos os utensílios necessários às churrascadas: facas de corte, tábua de madeira e pinça a pratos, copos, talheres e guardanapos.

Foto: Karandaev/iStock

“Mas, Micaela, eu não tenho espaço para isso! Como faço?”

Se a sua varanda não conta com armários ou prateleiras para guardar esses itens, providencie um carrinho de apoio, que pode ser muito útil em outras situações, inclusive dentro de casa, como um bar, com garrafas de bebidas e copos. A multifuncionalidade do móvel vai depender do estilo da peça.

Foto: Reprodução/Blog Oxford Porcelanas

Enquanto há opções (como a da foto acima) nitidamente pensadas para a área da churrasqueira – incluem tábua de carne e tem furos para encaixar os espetos –, outras são mais genéricas (foto abaixo), adequando-se facilmente a outros ambientes. Só tenha em mente que um carrinho que será realmente móvel não pode ser frágil e precisa aguentar o peso da louça, além de permitir a limpeza. Avalie as características dos modelos e as suas reais necessidades para então eleger o que melhor te atende.

Foto: Reprodução/Pinterest

Bom, mas voltando ao que interessa, ou seja, o momento do churrasco, antes de os convidados chegarem, você acomoda no carrinho tudo o que precisa levar da cozinha para a varanda e pronto! À medida que as pessoas forem chegando e quiserem se servir de bebida e comida, elas mesmas pegam os utensílios de que precisarem. Depois, até na hora de retornar com a louça suja (ou limpa, caso você tenha uma pia junto da churrasqueira) será mais fácil.

A gente tem que tornar a vida mais prática, sabe?!

Beijos,
Mica ♥