Aprenda a limpar o banco do carro

0

Vai pegar a estrada? Já foi e já voltou? Hum, qualquer que seja a
situação, dê um trato no estofado e deixe o carro cheirando bem!

A gente costuma usar as crianças como desculpa para bancos sujos e manchados, mas a verdade é que todo carro está sujeito a isso. Afinal, a gente roda com eles de um lado para o outro, transporta compras de todos os tipos e, de vez em quando, não resiste a dar uma mordiscada no pãozinho que acabou de sair quente da padaria. Quem nunca fez isso que atire a primeira migalha!

Se você, como eu, tem horror de viver em meio à sujeira, mas não gosta da ideia de mandar lavar o carro a todo momento, reúna o kit básico de limpeza e arregace as mangas. O ideal é limpar o estofado num dia em que não precisará mais usar o carro. Assim ele pode secar bem, sempre com os vidros abertos e, de preferência, ao longo de toda a noite.

Para limpar bancos de tecido, você vai precisar de:

  • Aspirador de pó ou, na falta dele, uma escova
  • Panos de limpeza
  • Cubos de gelo para crostas de sujeira
  • ½ litro de água
  •  ¼ de xícara de álcool
  • 1 colher de sopa de bicarbonato de sódio
  • 1 colher sopa de amaciante
  • 1 colher de vinagre branco
  • Bacia ou balde para misturar os ingredientes

Primeiro, inicie a limpeza passando o aspirador de pó. É ele quem vai eliminar poeira, fios de cabelo e migalhas. Você não tem um aspirador? Use uma escova e retire os resíduos com a ajuda de um pano limpo.

Caso se depare com alguma crosta de sujeira – papinha ou chocolate derretido e impregnado nas fibras do tecido, por exemplo –, cubra-a com um cubo de gelo. À medida que ele derrete, o choque de temperatura e a umidade levam a crosta a se desmanchar. Escove, então, o trecho afetado para desprender o restante da sujeira.

Em seguida, passe à limpeza geral do assento. Para isso, misture os ingredientes da lista:

  • água
  • álcool
  • bicarbonato
  • vinagre
  • amaciante

O bicarbonato e o vinagre farão o trabalho pesado, ou seja, desinfetarão o banco. Já o amaciante serve apenas para dar um cheirinho bom, enquanto o álcool ajuda a secar mais rápido.

Mas como eu ia explicando, molhe um pano limpo nesse detergente caseiro e torça-o bem antes de passá-lo no estofado. Quanto menos molhado o pano estiver, melhor. Faça movimentos circulares, limpando parte por parte.

Quando terminar a esfregação, pressione panos secos para retirar o máximo da água que tiver restado. Deixe os vidros do carro abertos e, como alertei antes, aguarde a secagem de um dia para o outro. Se o banco ficar úmido, sabe o que vai acontecer? Ele se encherá de fungos, mofo, e aí a limpeza terá sido em vão. Caso o clima esteja muito úmido ou frio, conte com a ajuda de um secador de cabelo.

Para limpar bancos de couro, você vai precisar de:

  • Aspirador de pó ou pano seco
  • ½ litro de água
  • 1 colher de sopa de detergente neutro incolor
  • Panos secos
  • Bacia ou balde para misturar os ingredientes

A faxina do banco de couro começa do mesmo jeito, com a eliminação da sujeira grossa. Vale usar aspirador de pó ou pano seco.

Na sequência, aplique a mistura de água e detergente, da mesma forma como ensinei a respeito dos estofados de tecido. No final, passe um pano seco para enxugar a umidade que por ventura reste. E nunca use o secador de cabelo aqui, hein?

Com os bancos limpos, vai ser bem mais agradável pegar a estrada em direção ao seu destino de férias! Relaxe durante a viagem e depois, na volta, é só repetir a limpeza.

Beijos Mica <3

TAGS
Limpeza de estofado
Como limpar os bancos do carro
Detergente caseiro para o banco do carro

Ainda dá tempo de criar a sua árvore de Natal!

0

Já sei: você deixou a árvore por último e agora bateu o desespero. Não precisa se preocupar, porque este modelo aqui você faz rapidinho

Mesmo os seres humanos mais organizados às vezes deixam para a última hora coisas importantes. E, quando a gente pensa em Natal, a árvore está entre elas. Então, o que fazer se agora as lojas só dispõem daqueles pinheirinhos franzinos ou, então, daqueles modelos de preços astronômicos? Identificou-se com a situação?

Minha dica é que você copie a árvore que criamos para A Casa Com Vida, o espaço de treinamento e consultoria de organização que eu, a Stella Rangel e a Ivana Portella mantemos no Rio desde agosto de 2017.

A gente até pensou na árvore com antecedência. O problema é que ela precisava ser grandona para não ficar perdida na sala em que está. Acontece que, para ser tão alta quanto queríamos, ela teria a base larga demais, ocupando muita área. Uma área da qual não podíamos abrir mão.

Foi então que veio a ideia de criar um modelo de parede. Compramos os materiais e, em três horas de montagem, tudo estava pronto. E gastamos menos de R$ 100 para ter uma árvore com mais de 2 metros de altura e um monte de enfeites. Ficou linda, não?

Agora eu te conto como fizemos esta decoração.

Passo a passo do pinheiro de Natal

Você vai precisar de:

  • Festão de Natal e luz pisca-pisca em tamanhos iguais (A nossa árvore, com cerca de 2 m de altura e 90 cm de base, levou dois festões verdes de 5 m cada e um pisca-pisca de 10 m.)
  • Fitas para fazer laços
  • Bolas
  • Enfeites variados
  • Preguinhos (fitas adesivas não aguentam o peso)
  • Barbante
  • Martelo
  1. Escolha uma parede que tenha boa visibilidade e uma tomada próxima – nela você ligará o pisca-pisca.  
  2. Defina o tamanho que terá sua árvore e trace-a na parede usando três preguinhos e o barbante. Para isso, fixe o preguinho mais alto e, depois, os dois da base, formando um triângulo a uns 40 cm do chão.  
  3. Enrole o pisca-pisca ao longo de todo o festão – os dois serão colocados juntos.
  4. Para fazer o ziguezague com o conjunto de festão e pisca-pisca, comece a instalação pela base do triângulo: é nos dois preguinhos inferiores que a primeira parte do festão será fixada.
  5. Depois, conforme for subindo com o festão decorativo, coloque preguinhos ao longo do barbante nos pontos em que fizer as curvas. São os preguinhos que sustentam e desenham a árvore.
  6. Repita o processo até chegar ao topo.

Chegou o momento mais gostoso, o de pendurar os enfeites!

Quer outras ideias de árvores de parede? Confira a galeria a seguir, com oito charmosos modelos que encontrei em sites variados.

Reaproveite os vidros de conserva e arrase na decoração de fim de ano!

0

Você pode usá-los para fazer enfeites e até para servir comidas e
bebidas no Natal e no Réveillon – tudo com o maior bom gosto.

Como os potes de vidro insistem em dar cria aqui em casa, resolvi buscar novas formas de reaproveita-los. E são tantas as sugestões bacanas que achei melhor compartilhá-las aqui.


Hoje trago ideias que você pode aproveitar já nas festas de fim de ano, ideias que selecionei entre dezenas. São as que mais amei. Mas, aguarde, pois em janeiro teremos um post focado no uso dos potes de vidro na organização. Afinal, janeiro é o mês perfeito para dar aquela arrumada na casa.
Vamos conferir as sugestões ideais para o Natal e o Ano Novo? Você vai notar que muitas também se destinam a fazer bonito em outras festas, pequenas e grandes. Para facilitar, dividi as fotos em dois grupos: decorar e servir.

1- Mini-vasos para a mesa de jantar

Não há nada mais simples que uma flor dentro de um vidro com água. Mas o efeito é espetacular quando você alinha vários desses em uma mesa de refeições. O mérito está na repetição e no degradé de tons. Corte os cabos bem curtinhos para que só a flor fique acima da borda do potinho.
Se quiser, faça como na foto e intercale o arranjo com algumas garrafinhas mais altas. Para caprichar ainda mais, deixe um raminho florido sobre cada prato.

2- Arranjo único 

Esta ideia fica perfeita para decorar a mesa de centro ou mesmo mesas de jantar de dois ou quatro lugares. Junte nove vidros iguais e amarre-os com uma fita. Então diversifique nas flores, escolhendo uma cor principal e acrescentando variedades brancas e escuras. Tamanha delicadeza de composição não passará batida aos olhos dos convidados.

3- Porta-vela com glitter

Use os vidros que tiver, sem se preocupar se são iguais ou não. A paleta de cores da sua festa vai determinar os matizes de glitter: variações de vermelho, de dourado, de branco e por aí vai. Ah, uma dica: se as crianças estiverem em casa, de bobeira, chame-as para ajudar na tarefa. Tenho certeza de que elas vão adorar!
Você vai precisar de:

  • potes de vidro
  • fita adesiva dupla-face transparente (de diferentes larguras, se possível)
  • glitter (nos tons desejados)
  • tesoura
  • velas de réchaud
  • pincel e pano para limpeza
  • papel grande para forrar a bancada de trabalho
    Passo 1: cole as fitas adesivas nos vidros, formando diferentes padrões decorativos (na foto
    você vê algumas sugestões). Mantenha a película protetora de cima.
    Passo 2: sobre a bancada forrada, trabalhe com o glitter tomando cuidado para não o espalhar
    pela casa. A cada tonalidade que for aplicar no pote, retire antes a película protetora. Cubra
    bem a fita adesiva com o pozinho e pressione para fixá-lo.
    Passo 3: retoque eventuais falhas e, para garantir, pulverize uma segunda camada.
    Passo 4: repita o processo nas outras faixas, usando os tons que quiser..
    Passo 5: com o pincel, limpe delicadamente os excessos.
    Passo 6: agora é só colocar as velinhas dentro dos potes, acendê-las e usufruir da sutil
    iluminação.

Para ver as fotos deste passo a passo, vá ao blog Something Turquoise, da americana Jen Causey, que criou estes porta-velas especialmente para
a Martha Stewart Craft.

4- Velas na areia e na água

Na proposta anterior, o que chamava a atenção era o porta-velas em si. Aqui, são os materiais que vão dentro dele. Tanto que basta um barbante de sisal ou um fitilho para dar acabamento aos vidros. Acomodada no fundo de areia, a vela maior assenta firme, enquanto na água as velinhas de réchaud flutuam delicadamente.

5- Quase um globo de neve

Que tal criar pequenas cenas natalinas dentro dos maiores vidros que tiver? Vão bem aqueles
de palmito, azeitona e maionese, pois são mais altos e têm a boca razoavelmente larga. Se a tampa contiver alguma inscrição, pinte-a com tinta spray metálica. No fundo dos potes ou das tampas, use cola quente para fixar os enfeites de plástico ou MDF. Você pode encontrar grande variedade de formatos e tamanhos em lojas de materiais para artesanato, como pinheiros, veados, bonecos de neve etc. Já que a inspiração vem dos globos de neve, não se esqueça de polvilhar neve artificial sobre a cena. Feche os potes e pronto! Vale colocá-los na janela, sobre a mesa de canto, em prateleiras…

6- Enfeite de árvore de Natal

Esta sugestão segue o mesmo conceito da proposta anterior. Neste caso, a dica é aproveitar aqueles potinhos de comida para bebê, bem pequenos. Dentro de cada vidro, no fundo, cole um pinheirinho e pulverize a neve artificial. Com um martelo e prego, faça dois furos em cada tampa. Em seguida, pinte-as com tinta spray metálica.
Depois que as tampas estiverem secas, passe um pedaço de barbante pelos furos de cada uma para formar a alça: junte as duas pontas e dê um único nó pelo lado de dentro. Aí basta tampar os vidros e pendurá-los na sua árvore de Natal.
Mas, atenção: as hastes da árvore precisam ser resistentes para aguentar o peso do vidro. Ainda por precaução – mas também pelo efeito estético –, não exagere na quantidade de potinhos, combinando-os com outros ornamentos mais leves, como laços, bolas etc.

7- Sobremesa em camadas

 

Gente, só de olhar eu já engordo! Mas como dispensar uma gostosura tão linda? Aqui é um merengue, com morangos e sorvete, porém você pode lançar mão dos potes para montar pavês, um iogurte com frutas e granola, um combinado de brigadeiros variados etc. Qualquer receita com partes de múltiplas cores e texturas funciona.
E lembre-se de servir com uma colher proporcional ao tamanho do vidro e que consiga alcançar todas as camadas da sobremesa.

8- Saladas irresistíveis

Até a salada de todo dia se torna tentadora quando montada dessa forma. O que dizer, então, das versões criadas para festas? Só o que as distingue são a quantidade e a escolha dos ingredientes, mas o esmero no visual é o mesmo.
Em ocasiões especiais, use potes pequenos e aposte em um mix de receitas – assim os convidados podem experimentar um pouquinho de várias preparações. Já nas refeições no trabalho, se for ficar só na salada, opte por um vidro grande e com tampa, fácil de se transportar em uma bolsa térmica. No preparo, primeiro adicione o molho e, depois, cada uma das camadas. Na hora de comer, você vira o recipiente em um prato e o
molho se espalha por tudo. Hum!!!!

9- Sucos e coquetéis refrescantes

Quem precisa de copos quando se dispõe de um montão de potes de vidro? A borda com ranhuras ainda é ótima para receber decorações como a fatia de limão. E antes que eu me esqueça: canudos, só se forem de papel, vidro ou alumínio. Vamos dar um basta aos canudinhos de plástico!

10- Cada um com a sua bebida

Gostou da ideia anterior? Então aprimore-a e cole etiquetas identificadoras nos vidros transformados em copos. Assim acaba aquela história de ninguém saber aonde deixou o próprio copo e depois haver uma enormidade deles para lavar.

Espero que você tenha curtido estas sugestões tanto quanto eu. Boa sorte no faça você mesmo!


Beijos Mica <3

Faça você mesmo: como remover papel de parede Cansou da estampa ou o revestimento já perdeu o prazo de validade? Eu te ensino a tirar o papel antigo sem estragar a parede.

0

Em um post recente, eu trouxe dicas de como limpar o papel de parede – dê uma olhada lá
para aprender a conservar esse acabamento por mais tempo. Como nada dura para
sempre, em algum momento você precisará dar adeus a ele.
São duas as opções para removê-lo. A primeira é contratar mão de obra profissional e não
pensar muito no assunto. A segunda, arregaçar as mangas e gastar algumas horas fazendo o
serviço por conta própria. Essa última alternativa eu só indico a quem tem disposição e
paciência, já que é uma tarefa cansativa. Vamos conferir as etapas?

1º passo: dê uma puxadinha
Comece puxando uma das pontas. Existe a chance de o papel se descolar com a maior
facilidade do mundo, sem rasgar nem deixar vestígios. Se isso acontecer, eu diria que você
tirou a sorte grande, pois seu modelo é do tipo removível. Isso significa que em poucos
minutos conseguirá arrancá-lo todo e sua parede ficará nova em folha. É isso mesmo: trabalho
encerrado pra você!
Também pode ocorrer de o papel não sair – mas sim uma película impermeável transparente
que costuma ir por cima dele. Se for assim, a retire toda, o que é bem simples.
Removida a película – ou se ela nem existir e o revestimento se soltar aos pedaços em suas
mãos –, a superfície estará pronta para as próximas etapas.

2º passo: certifique-se de que a parede não é de gesso
Bata com as mãos fechadas e ouça o “toc toc”. Se o som for oco, a divisória é de gesso (drywall) e, portanto, não tolera umidade. Como a remoção do papel envolve (muita) água,
desista do faça-você-mesmo e peça ajuda a um profissional.

3º passo: reúna os materiais necessários
Seu revestimento não é do tipo removível? A parede não é de gesso? Não existe sobre o papel
nenhuma película a prova d’água? Ótimo! Para livrar-se do acabamento antigo, você vai
precisar de:
• 1 rolo de pintura (ou 1 borrifador ou 1 esponja)
• 1 espátula flexível (encontrada em lojas de pintura)
• água morna

4º passo: molhe toda a parede
O segredo da retirada é amolecer o papel e sua cola e, em seguida, raspar tudo com uma
espátula. Sim, só isso!
Entre as formas de espalhar a água pela superfície, o rolo de pintura é a mais rápida e menos
trabalhosa. Se não tiver um, dá para se virar com um borrifador e até com uma esponja.
Antes de atacar com a espátula, deixe o papel “descansando” umedecido por uns 15 minutos,
até que esteja bem molinho. Água fria pode funcionar, mas a morna é bem mais eficaz.

5º passo: raspe o revestimento umedecido
Chegou o momento da verdadeira trabalheira, que é raspar o papel já molinho. Lembrando
que o ideal é usar uma espátula flexível, e não rígida, a fim de proteger suas mãos e evitar
lascar a alvenaria.
Para completar esse serviço em uma parede de 3 x 3 m, um profissional experiente leva cerca
de uma hora. E você?

6º passo: se for preciso, apele!
Alguns percalços podem tornar a empreitada bem mais chatinha do que deveria ser. Bora ver
quais são os principais e como contorná-los?
• Apesar de molhado, o papel não desgruda.
Isso costuma acontecer quando o revestimento é grosso demais e absorve pouca umidade.
Solução: com um estilete, faça cortes muito delicados na superfície para ajudar a água a se
infiltrar. Tome bastante cuidado para não se machucar nem danificar a parede.
• A cola não sai.
Pode ser que o papel de parede tenha sido aplicado com cola branca, em vez de cola específica
para esse acabamento. Vença a resistência do adesivo lançando mão de um vaporizador.

Se tudo correr bem durante a remoção do papel, vai ser como se a parede nunca tivesse sido
revestida. Ou seja, se antes a pintura estava perfeita, você só precisará finalizar o serviço
lavando a superfície com água morna e sabão neutro. Se a tinta já estava velha, então
terá de reaplicá-la ou usar algum outro acabamento.
Caso, porém, você tenha machucado a parede enquanto manejava a espátula, aí precisará
retocá-la com massa, lixa e tinta.

Viu porque todo capricho não é em vão?!

Beijos Mica <3