Vamos arrumar os cabides? Para organizar o armário, é fundamental começar pelo acessório que é o melhor amigo das suas roupas: o cabide, é claro!

2

Se eu pudesse dar um único conselho sobre organização de guarda-roupa, seria este: preste
atenção nos cabides. Isso mesmo! Será que você já parou para pensar na importância desse
acessório?

Posso afirmar que ele determina diretamente aspecto visual do guarda-roupa. Cabides de
mesmo material e cor resultam em conforto visual, ou seja, dão aquela sensação de ordem
que a gente tanto aprecia. Basta olhar para a foto aí em cima, de um armário que eu arrumei
em um episódio do Santa Ajuda. Pura satisfação, né?

Por outro lado, se você tem um guarda-roupa que é aquela festa, com um cabide de plástico
vermelho aqui, um de acrílico transparente acolá, a coisa fica complicada. A desarmonia visual
transmite a ideia de bagunça, mesmo que as roupas em si estejam arrumadinhas.
Além disso, a experiência prática que você tem ao manusear suas roupas no dia a dia depende
desses acessórios. Sobre esse assunto, eu já falei bastante neste post sobre os melhores cabides para cada peça de vestuário.

Padronização + cabides antideslizantes

Recentemente uma leitora do blog me perguntou o seguinte: “Como faço para padronizar os
cabides se nem todos os modelos têm a mesma função? Quero usar cabides de veludo, que
não deixam as roupas escorregarem, mas aí eles não aguentam calças ou roupas mais
pesadas”.
O principal objetivo de toda e qualquer regra de organização é facilitar a vida, nunca dificultar.
Então é claro que tudo precisa se encaixar na sua realidade e fazer sentido para você. Isto
posto, a resposta é simples: pense em um esquema para a padronização dos cabides de

acordo com os setores do guarda-roupa. Nesse caso, uma opção é utilizar cabides de veludo
no varão principal e eleger um exemplar de madeira exclusivamente para o espaço dedicado
às calças e roupas pesadas.

Se o mais importante para você é que as roupas não escorreguem, existem algumas
alternativas ao modelo de veludo, como aqueles com fendas ou ganchos – eles funcionam
especialmente bem para roupas com alcinha.
E tem, ainda, uma solução genial: adesivos antiderrapantes que você cola nos seus cabides
para evitar que as roupas despesquem dali. Feitos de silicone, em inglês eles são chamados de
“slip grip”, por isso este é um termo bom para usar na pesquisa se você quiser encontrar esse
produto à venda na internet.

Quer mais economia? Dá para improvisar esse efeito de aderência de duas formas muito
simples. A primeira é prendendo um elástico de escritório nas extremidades do cabide. A
segunda pede uma pistola de cola quente: basta aplicar a cola em ziguezague na área desejada
e pronto! Mas, nessa segunda situação, deixe secar completamente antes de pendurar a
roupa, ou você vai acabar estragando-a. Estes são os DIY de cabide antiderrapante mais
rápidos do Oeste!

Por hoje é só, mas aguarde porque logo escreverei mais sobre este tema.

Beijos,

Mica ♥

 

Receita da Vovó: Farofa de Cream Cracker Aquele acompanhamento que todo brasileiro ama: farofa!

0

É só preparar o arroz que o acompanhamento eu garanto aqui:

Ingredientes:

1 pacote de cream craker;

4 ovos cozidos;

1/2 xícara de passas;

1/2 xícara de azeitonas verde picadas;

150 gramas de manteiga;

2 colheres de sopa de azeite;

1 cebola ralada;

2 dentes de alho socados;

1 molho de salsa e cebolinha picado;

1 lata de milho escorrido;

1 pimentão verde;

1 pimentão vermelho;

sal a gosto;

1/2 xícara de queijo parmesão;

Modo de preparo:

  1. Bata o biscoito no liquidificador;
  2. Doure a cebola e alho com a manteiga e o azeite;
  3. Adicione os pimentões, milho escorrido e as passas;
  4. Esfriar alguns minutos e coloque a farinha de biscoito;

E prontinho!

Beijos,

Mica e Vovó Leleta ♥

Quarto na medida para duas crianças! Um menino e uma menina podem compartilhar o quarto, dividindo armários, bancada de estudos e área de brincar? Sim! E dá para manter a ordem!

0

Outro dia, navegando no site da revista eletrônica de design infantil Na Toca, vi um dormitório
duplo que achei muito bem resolvido em termos de decoração e, particularmente, de
organização. Olha que eu sei, por experiência com as minhas filhotas queridas, que nem
sempre é fácil para duas crianças dividirem o mesmo quarto. Dentro dele, cada uma precisa
ter o próprio espaço e se reconhecer ali.

Já que achei o projeto eficiente, resolvi saber mais sobre ele para apresentá-lo hoje aqui, como
um presente para filhos e pais neste Dia das Crianças. Quem encontrou a solução perfeita para
o dormitório dos irmãos Sabrina e Theo, de 6 e 4 anos respectivamente, foi a arquiteta Hana
Lerner, do Rio. Em uma área de 9 m², ela criou os setores de dormir, de guarda-roupa, de
estudos e de brincar e circular. Como eu sempre recomendo no caso de cômodos pequenos e
com várias funções, o uso do espaço vertical foi decisivo para o sucesso da proposta.

Um beliche feito sob medida acomoda a menina em cima e o menino embaixo. Mas como
fazer quando eles querem convidar um amiguinho para passar a noite? Nessas ocasiões, entra
em cena no meio da área de circulação o colchão dobrável que no dia a dia é guardado sob
metade da cama inferior. E sabe por que ele ocupa só 50% desse vão? Porque a outra metade
virou um gavetão para brinquedos. “O ambiente é muito pequeno, então a gente precisava
aproveitar todos os espaços que servissem para armazenar os pertences deles”, diz a Hana.

Ainda na área de dormir, repare que cada criança tem à cabeceira prateleiras onde enfileiram
bonecos, bichinhos e outros itens pequenos. Além de personalizar o cantinho de cada irmão,
esse detalhe de marcenaria camufla um dente que existe na parede.

Aos pés do beliche, outras cinco prateleiras feitas sob medida deixam à mão os livrinhos de
histórias e não atrapalham o acesso ao armário. Para economizar o espaço de abertura, o
móvel tem portas de correr: uma para cada criança e uma terceira que é compartilhada.
Agora, você reparou nas gavetas sob o guarda-roupa? Gente, eu amei, porque cada uma traz
identificado o conteúdo! Precisa de muito esforço para conseguir bagunçá-las, hein?!

A arquiteta me explicou que preferiu deixar a frente das gavetas no acabamento lousa para
que as funções possam ser modificadas conforme a necessidade. Hoje elas guardam pijamas,
meias e sapatos – os da Sabrina de um lado da gaveta e os do Theo do outro –, mas nada
impede que amanhã a forma de organizar seja outra. Ou seja, existe uma segmentação, mas
ela é flexível. Acima das gavetas, ainda há nichos para acomodar os jogos.
Dois baús ripados, com rodízios, contemplam mais brinquedos. E aí vem a identificação por
cores que a arquiteta adotou: o da menina é lilás e o do menino, turquesa.

O padrão se repete na área de estudos e assim não sai briga para decidir quem senta onde.
Cada um tem as suas gavetas e prateleiras para organizar livros escolares, cadernos, materiais
de papelaria e enfeites. As prateleiras mais baixas, pouco profundas, encaixam baldinhos com
lápis e canetas.

E cada irmão também ganhou um gaveteiro – com rodinhas. “Nos dias em que eles estão se
amando, querem sentar um do lado do outro, então os gaveteiros vão para as pontas. Mas
quando estão brigados, os gaveteiros servem para separá-los”, explica a Hana, rindo. Sei bem
como é isso, Hana! Aliás, que pai e que mãe não conhecem essa situação?

Viu como organizando bem tudo é possível?

E assim eu me despeço, desejando um felicíssimo Dia das Crianças para todos!

Beijos,

Mica ♥

 

 

 

E se o gato fizer xixi no sofá ou nos livros? Descobrir o porquê do ato é importante, mas urgente mesmo é limpar o resíduo e impedir que o cheiro fique entranhado

0

Um belo dia seu bichano lhe presenteia com um xixi fora do lugar. E aí? Quando isso acontece
em um piso frio, até que vai, mas se o alvo é um tapete, colchão ou estofado… Ai, ai, só quem
já experimentou o cheiro da urina do gato sabe o quanto ele é forte e persistente – culpa da
amônia presente em sua composição.

Como não adianta chorar sobre o xixi derramado, em vez de se desesperar, aja com eficiência.
O primeiro passo é colocar algumas folhas de papel toalha em cima da pocinha para absorver o
excesso. Não esfregue jamais! Isso só faz a urina se espalhar e penetrar mais fundo na trama.

O passo seguinte é limpar a mancha. Apesar de conhecer muitas receitas caseiras testadas por
donos de gatos – a maior parte delas à base de vinagre, bicarbonato de sódio e até água
oxigenada –, eu ainda acho que a situação pede uma solução mais certeira. E nada me parece
tão eficiente quando os eliminadores enzimáticos de odor, facilmente encontrados em
grandes pet shops (já falei sobre eles aqui). Esse tipo de produto não serve apenas para
mascarar o cheiro, mas para acabar com as substâncias que o provocam, já que sua fórmula
não possui nada além de microrganismos especialistas na decomposição de restos de fezes e
urina.

Agora, se quem levou aquele banho de xixi foi um livro, o bicarbonato pode ajudar muito.
Antes de qualquer coisa, recorra ao papel toalha para absorver o excesso de líquido. Em
seguida, coloque o livro dentro de um saquinho plástico com fecho hermético e polvilhe
bicarbonato em toda a área atingida. Feche a embalagem e deixe-a assim por alguns dias,
sacudindo-a de vez em quando a fim de espalhar bem o pó. Uma semana costuma ser
suficiente para reverter o estrago. 😉

Beijão,

Mica