Tudo pela segurança dos bebês – o que tirar do alcance Até que os pequenos sejam capazes de entender e interiorizar as regras da casa, cabe aos pais fazer algumas alterações no ambiente a fim de protegê-los

0

Faz muito tempo que minhas filhas passaram dessa fase, mas ainda me lembro de quando
começaram a engatinhar e tudo o que viam as atraía loucamente. Podia tanto ser uma bolinha
inofensiva, como um copo ou uma caixinha de remédio dando bobeira numa mesinha.

Além dos variados protetores que ajudam a zelar pela segurança dos pequeninos (falei sobre
isso aqui), dar link há certos cuidados que não envolvem acrescentar nada à casa. Envolvem,
ao contrário, tirar coisas – como objetos decorativos que podem se quebrar e itens que
tenham valor sentimental. Não custa nada guardar essas peças no armário ou transferi-las
para uma prateleira mais alta até que a criança cresça um pouco.

Quando ela estiver maiorzinha, aí é uma questão de condicioná-la e ensinar o que pode e o
que não pode. Eu e meus primos, por exemplo, crescemos na casa da minha avó, cheia de
bibelôs, e nunca quebramos nada importante.

Mas eu falei sobre prateleira alta e me lembrei de algo importantíssimo: bebês adoram escalar
e não entendem o que é a altura. Sobem num brinquedo, daí alcançam a cadeira, depois a
mesa e, quando você pisca, estão pendurados no lustre.  Não – ninguém merece esse susto! Então observe sua casa imaginando as armadilhas oferecidas por inocentes banquinhos e sofás (inocentes até o bebê começar a andar!) e afaste-os das janelas.

Ah, uma última dica! Para quem chega da rua e não tira os sapatos na porta, eis a hora de
mudar esse hábito: sapato sujo e bebê brincando no chão não combinam. Toda criança
pequena leva à boca o que suas mãozinhas alcançam – e quando os dedos não alcançam, a
língua alcança! Isso faz parte do desenvolvimento infantil e não adianta dizer que no seu caso
vai ser diferente.

E não pense que para resolver as questões de segurança e higiene é só deixar o bebê num
cercadinho. Não, ele precisa de espaço e de novas experiências a todo momento. Como mãe
de gêmeas, eu garanto que o melhor é abolir os calçados em casa – inclusive para as visitas –,
limpar o piso com frequência e curtir a farra com os pequenos. Esse tempo passa rápido
demais!

Beijos,

Mica ♥

 

Tudo pela segurança dos bebês – acessórios para incluir no seu dia a dia Portãozinho, protetores de quina, travas multiuso, tapete de EVA... Usados em alguns pontos da casa, esses acessórios protegem os pequenos

0

Mães e pais grávidos se esforçam tentando prever todos os riscos, mas só quando o bebê
chega e começa a se desenvolver é que a gente se dá conta de que viver é para os fortes – e os
pequenos são muito fortes! Os acidentes fazem parte do aprendizado dos nossos filhos, mas
nem por isso vamos deixar a segurança deles ao sabor do acaso.

Cozinha e escada, por exemplo, oferecem vários riscos e definitivamente não são bons lugares
para um bebê engatinhar, andar nem brincar. Então, por que não limitar o acesso a esses
espaços isolando-os com aqueles portõezinhos disponíveis em lojas de acessórios infantis e até
em pet shops?

Outra armadilha são os cantos dos móveis, responsáveis por muitos galos dolorosos e
escoriações. Só que é fácil amenizar o estrago que eles podem provocar cobrindo-os com
protetores de quina feitos de silicone ou borracha – lojas especializadas em bebês e home
centers vendem esse tipo de produto. Existe até protetor de borda, perfeito para tampos de
vidro. É mais difícil de encontrar, mas nada que uma pesquisa na internet não resolva.

Não vejo motivo para choques nem para dedinhos presos em gavetas e portas se existem
protetores para tomadas e travas de tudo quanto é tipo – gente, já encontrei até trava para
eletrodomésticos e outra para a tampa do vaso sanitário!

Outro acessório de que gosto muito para o início da infância é o tapete de EVA. Macio e fácil
de limpar, ele é ótimo para forrar o chão no espaço onde o bebê costuma brincar. E quando
inicia a fase de andar de gatinhas, o tapete protege os joelhos dos pequenos. Como as placas
são encaixáveis, fica fácil adaptá-las à área disponível.

Para finalizar este post, eu só queria lembrar que ninguém deve esperar beleza desses
produtos. Não, isso não é com eles. Mas logo, logo os bebês crescem, o kit de proteção deixa
de ser necessário e sua casa pode voltar ao normal.