Botas, sapatos, bolsas e casacos de couro livres de mofo A umidade atacou seus acessórios queridos? Aprenda como livrá-los das manchas

0
Escovas, vaselina e panos para limpar e tratar bota de couro.

 

Eliminar o mofo de itens de couro, nobuck, camurça e outros materiais do tipo não é tarefa das mais fáceis. Sabe qual é o grande risco? Causar um estrago maior ainda.

Antes de passar as receitinhas caseiras, eu preciso fazer alguns alertas: não é porque você conseguiu salvar uma bolsa que terá o mesmo sucesso com outra aparentemente do mesmo material. Tudo depende de como a matéria-prima (o couro, o nobuck etc) foi produzida, dos corantes utilizados, do acabamento final.

Se o bolor estiver em fase inicial, é possível que uma limpeza feita em casa consiga acabar com ele. Mas se o ataque for mais profundo… ih, melhor recorrer aos serviços de lavanderias especializadas.

Agora que você já conhece os poréns envolvidos, vamos às dicas para cada material suscetível ao problema.

Couro: primeiro passe uma flanela limpa para tirar o pó de todo o sapato (ou do casaco, da bolsa…). “Se o mofo estiver começando, você pode tentar eliminá-lo aplicando uma mistura em partes iguais de água e vinagre branco”, explica Baltazar Guedes, do CRC – Centro de Recuperação do Couro. Esfregue delicadamente a área mofada e deixe secar à sombra. Nada de querer acelerar o processo e colocar ao sol ou atrás da geladeira, porque isso só faz o couro endurecer.
Após a limpeza, é necessário hidratar o couro – aliás, faça isso a cada seis meses para garantir a aparência do material. Você pode usar tanto óleo mineral ou de amêndoas como vaselina ou silicone, aplicados com um pano. Passe uma flanela limpa para retirar o excesso, deixe secar mais um pouco e só então guarde a peça em local arejado.

Camurça, chamois e nobuck: o Baltazar, do CRC, me explicou que esses materiais são muito difíceis de limpar e que a receitinha caseira que funciona em um determinado sapato pode não funcionar em outro, por exemplo. Então, você tem de ir devagar. Primeiro, passe uma escova com cerdas de náilon, daquelas bem macias, em toda a peça, sempre no mesmo sentido. Se ainda restar alguma mancha, faça um teste: umedeça um algodão naquela mesma mistura de água e vinagre e passe levemente em um cantinho escondido da peça, já tomando o cuidado de secar em seguida. Se não manchar, então faça o procedimento na área atingida pelo mofo e seque rapidamente.

Pelo: o que funciona aqui é a benzina, aplicada com um chumaço de algodão.

Agora, se o mofo estiver em fase avançada ou você não conseguir eliminá-lo com essas dicas, procure uma lavanderia especializada nesses materiais, tá?

Beijos,
Mica!

Imagem: Antonis Liokouras/iStock

 

LEIA MAIS

Arrume o guarda-roupa de inverno Chegou a hora de colocar casacos, blusas de lã e acessórios de frio na área nobre do seu armário!

4
Malhas de frio dobradas e empilhadas.

Nos estados brasileiros onde outono e inverno significam temperaturas baixas, não dá mais para sair de casa sem levar um agasalho. Isso quando a gente já não sai vestida com um tricô, cachecol e botas.

Então esse é o momento de reordenar o armário, “baixando as roupas de frio”, como gostam de dizer os gaúchos. Isso significa destiná-las à área nobre do guarda-roupa, aquele espaço que fica na altura dos olhos. Junte o que é muito típico do verão, como trajes de praia, shorts, saias leves, batinhas e vestidos mais frescos, e guarde-os nas prateleiras mais altas.

Roupas de frio que estavam fora de uso precisam ventilar, minha gente. É só pendurá-las no varal e deixá-las ali, tomando um arzinho, por um ou dois dias antes de acomodá-las nas araras, gavetas e prateleiras.

Caso você tenha feito tudo direitinho quando a última temporada de frio se encerrou, possivelmente não terá nenhuma surpresa desagradável agora. Mas, se tiver vacilado… hum, é provável que se depare com aquele famoso cheiro de coisa guardada. Argh!

Se notar mofo em suas roupas, lave-as seguindo as instruções do fabricante. No caso de manchas persistentes em tecidos de algodão ou poliéster, você pode tratá-las com soluções caseiras à base de vinagre branco. Antes de partir para o ataque, faça um teste em uma pontinha do tecido, de preferência pelo avesso. Se não acontecer nenhum dano, siga em frente.

Uma alternativa é mergulhar a peça durante duas horas em uma bacia com uma xícara de vinagre para cada litro de água e então lavar. Outra sugestão é aplicar uma mistura pastosa de vinagre e bicarbonato de sódio por 10 minutos na área afetada, depois esfregar delicadamente e lavar.

Já que você já aprendeu a se livrar do mofo, vamos ver como devolver as roupas ao armário. Casacos de couro, veludo e tecido de lã devem ficar em cabides que sustentem melhor o seu peso. São modelos estruturados, de madeira ou de plástico rígido, cujas extremidades largas não vão deixar as roupas deformarem nos ombros.

Quanto a cardigãs e blusas de lã e de linha, o ideal é dobrá-los e mantê-los em gavetas ou prateleiras. Eu gosto de dobrar as peças do mesmo tamanho e distribuí-las por packs, mesmo no inverno, pois assim elas ocupam menos espaço e não correm o risco de ter um fio puxado. Faço igual com cachecóis e xales.

Eu prefiro aquelas embalagens em que cabem umas três blusas – acho mais práticas, mas existem outros tamanhos. Veja bem: são packs com visor e feitos de TNT, que tem micro furos e deixa o ar passar. Nem pense em colocar roupas em sacos plásticos, hein?! Nunca, tá?

Outra dica: usou a malha? Tem de lavar antes de guardar. Ainda que tenha sido uma vez só. É que minúsculos fragmentos de pele aderem na lã e isso é um prato cheio para traças.

Aliás, para manter esses insetinhos gulosos bem longe das suas roupas, coloque algumas folhas secas de louro em um saquinho de organza – aqueles que a gente compra em lojas de essências –, feche-o e ponha-o dentro dos packs ou das gavetas. Vai ficar um cheirinho suave.

Para prevenir o mofo no armário, sabe o que absorve a umidade do ar e é barato? Giz de lousa! Ainda mais eficientes são as bolinhas de sílica gel, encontradas em lojas de produtos químicos. No caso de um ou outro material, basta por um punhado deles dentro de saquinhos de organza, amarrar e pendurar em alguns dos cabides de roupas. E você pode deixá-los em gavetas e prateleiras também, claro.

Gostou das dicas? Agora é só colocar a mão na massa!

Beijo enorme,
Mica!

Imagem: Fleur Suijten/Freeimages