Como higienizar frutas e legumes Aprenda a remover sujeirinhas, desinfetar e reduzir a quantidade de agrotóxicos na casca dos vegetais que come

0

Pessoal, hoje eu quero bater um papo sério sobre limpeza… de frutas e legumes!

Afinal, se a gente faz de tudo para deixar a cozinha limpa e organizada, não dá para descuidar justamente quando o assunto é aquilo que a gente come, certo?

Eu adoraria lavar frutas e legumes assim que chego da feira ou do supermercado, como faço com a salada, mas descobri que esse ato de higiene acaba sendo prejudicial à qualidade do alimento. Dá para acreditar? Como eu mesma fiquei muito surpresa, resolvi escrever um post exclusivamente sobre a questão: se você ainda não o viu, clique aqui  e entenda tudo direitinho.

Foto: Monzenmachi/iStock

De qualquer forma, lavando com antecedência ou apenas na hora do consumo (conforme o vegetal), há um passo a passo a seguir.

Limpeza em água corrente

Se houver talos e outras partes não comestíveis, assim como pedaços machucados ou apodrecidos, retire-os sem dó nem piedade! Sabia que eles são a porta de entrada para mais bactérias e fungos?

Nessa lavagem inicial, use uma escovinha para esfregar os tubérculos – como as batatas – e os legumes e frutas que serão consumidos crus.

Vale lembrar que todos – T-O-D-O-S, viu? – os vegetais e frutas devem passar pela limpeza em água corrente, até aqueles que serão comidos sem a casca, como laranja e melancia. É que, com a faca ou mesmo com as mãos, a gente pode acabar levando para a polpa sujeiras que estão do lado de fora.

Lenda x ciência

Reza a lenda que a imersão em uma mistura de água e bicarbonato de sódio reduziria a concentração de pesticidas nos alimentos. Porém, segundo a nutricionista Viviani Fontana, conselheira do Conselho Regional de Nutricionistas – 3ª Região SP/MS, não existe evidência científica dessa ação. “Se há agrotóxico, ele está em todo o alimento e na lavagem não conseguimos retirá-lo”, explicou-me. E, se é para diminuir a quantidade só na casca, a lavagem cuidadosa – como eu ensino aqui – já faz isso, sendo o bicarbonato desnecessário.

Adeus, micro-organismos!

A última fase da higienização, que vale também para os orgânicos, pede que frutas e legumes fiquem imersos por 10 a 15 minutos em um produto para desinfecção de alimentos. Pode ser a água sanitária – desde que o rótulo informe que aquela marca específica pode ser usada para esse fim – ou algum outro produto à base de hipoclorito de sódio (que é o princípio ativo da água sanitária), de acordo com o Ministério da Saúde e a Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária). Se escolher a água sanitária, a concentração recomendada é de uma colher de sopa para cada litro de água. No caso dos outros produtos, siga as orientações do rótulo.  

Enxágue final

Depois dessas etapas, abra a torneira sobre os alimentos e permita que a água corrente leve embora os últimos resquícios de bactericida e micro-organismos.

Papel toalha para enxugar

Nada de deixar os vegetais molhados – a não ser que vá colocá-los na panela imediatamente. Seque-os muito bem com papel toalha, principalmente se for guardá-los por um ou dois dias.

Lição dada é lição aprendida, hein?!

Beijos,
Mica ♥

Como fazer a higiene da sua escova de dentes Você sabia que é preciso desinfetar sua escova de dente? Além desse, há outros cuidados que a gente deve tomar para manter a escova livre daqueles desprezíveis micro-organismos.

0
mulher limpando a escova de dentes com agua

Vivendo e aprendendo: até as escovas dentais pedem cuidados. Do contrário, podem acumular milhares de bactérias e fungos que prejudicam não só a sua boca, como os sistemas respiratório e digestivo. A higienização, porém, não é nada complicada, já vou logo avisando. Mas antes de chegar nela eu dou outras dicas.

Não existe uma orientação oficial do Ministério da Saúde a respeito desse assunto. O que temos é uma recomendação básica do Inmetro segundo a qual “a escova deve ser lavada em água corrente e guardada em local limpo”.

“Certo, Mica. Eu sempre enxáguo minha escova depois do uso e mantenho meu banheiro limpinho. Qual é a novidade?”

Bem, caso você não tenha esse costume, saiba que lavar as mãos antes da escovação é um importante hábito de higiene. E, tanto antes como após o uso, é fundamental:

  • Limpar a escova em água corrente, retirando todo e qualquer restinho de comida que fique entre as cerdas;
  • Borrifar um pouco de enxaguante bucal nas cerdas para matar as bactérias.

Sabe o que mais a gente deve fazer? Sempre tampar o vaso sanitário antes de dar descarga. Isso evita que milhões de germes se espalhem no ar e contaminem tudo em volta – inclusive a escova dental. Argh, que nojo! É, dá nojo mesmo, portanto, tampa abaixada!

“E se eu cobrir minha escova com uma daquelas capinhas?”

Ah, tá aí uma questão polêmica. Embora muitos profissionais defendam o uso de protetores ou estojos, outros condenam a prática. Nos Estados Unidos, a ADA (Associação Dental Americana) recomenda que a escova seja mantida sem capa e fora do armário, pois a umidade funciona como fermento para o desenvolvimento dos micro-organismos. Há profissionais que sugerem o caminho do meio: falam para guardar o utensílio dentro do armário acima da pia, onde há um mínimo de ventilação, sem exposição integral ao ambiente.

Seja qual for a opinião que você escolha seguir, nunca deixe sua escova molhada. Para secá-la bem, é preciso batê-la na beirada da pia para remover o excesso de água e guardá-la na posição vertical, com as cerdas para cima. E nada de esfregá-la na toalha: isso também pode resultar em contaminação.

Aprenda a higienizar

Há alguns estudos que testaram os mais variados produtos e equipamentos para desinfetar escovas dentais. Entre eles o vinagre e diferentes tipos de enxaguantes bucais. Sabe qual foi o mais eficiente? O hipoclorito de sódio. Hum, nunca ouviu falar dele? É isso aí mesmo que você está pensando: trata-se da velha e boa água sanitária!  

Lendo um artigo publicado em 2015 na Revista de Odontologia da Unesp (Universidade Estadual Paulista), eu descobri que, se deixarmos a cabeça da escova dental mergulhada durante 15 minutos em uma solução bem diluída de água e hipoclorito de sódio (0,08%), a gente se livra de seis grupos de bactérias muito comuns em nossas bocas. E os pesquisadores garantem que não sobra nem cheiro nem gosto da água sanitária, já que ela é empregada em quantidade mínima.

Como o ideal é desinfetar a escova diariamente, aqui vai a dica: faça isso após a última escovação, antes de ir dormir. No dia seguinte, lembre-se de enxaguar bem o utensílio antes de colocá-lo na boca: assim a água leva embora todos aqueles micro-organismos mortos.

E não custa nada lembrar: nunca deixe que as cerdas de uma escova encostem nas de outra. E troque suas escovas a cada dois ou três meses.

E já que estamos falando de limpeza, pegue uma carona e veja 6 dicas para manter o banheiro em ordem e limpinho!

Beijos,
Mica ♥

Imagem: iStock Essentials