O lugar dos medicamentos é…. ...longe da cozinha e do banheiro, onde o calor e a umidade podem ser fatais

2
mulher com caixa de remédios colocando uma cartela de comprimidos dentro

Atire a primeira pedra quem nunca manteve uma caixinha de medicamentos em casa. Apesar de a gente viver ouvindo que não é para ingeri-los sem indicação médica, dificilmente a gente descarta os comprimidos ou restinhos líquidos que sobraram de um tratamento. Sem contar os analgésicos e antitérmicos que todo mundo adquire como garantia para momentos de dor e febre. E, é claro, ainda há os medicamentos de uso contínuo e frequente, devidamente receitados, que é preciso tomar de tantas em tantas horas, por não sei quanto tempo.

Já que, dificilmente, a gente escapa de ter uma farmacinha em casa, o negócio é organizá-la. Comece por separar em outro lugar os itens de primeiros socorros. Feito isso, certifique-se de que todos os remédios foram reunidos – você sempre saberá onde encontrar o que precisa.

A exceção fica por conta de medicamentos que precisam ser conservados na geladeira, como a insulina.

Encontrar um local adequado para a farmacinha é o passo seguinte. Esse local definitivamente não é o banheiro, nem a cozinha – ambientes onde a variação de temperatura e a umidade são comuns. E nada compromete mais a integridade dos medicamentos do que esses dois vilões.

Prefira uma gaveta na sala ou um canto no armário do quarto, locais a salvo do sol, da umidade e do calor excessivo. Se houver crianças ou animais na casa, escolha um lugar que seja inacessível para eles.

Dependendo do tamanho da sua família ou da quantidade de remédios necessários, você pode precisar de uma ou mais caixas para ordená-los. Identifique-as sempre com etiquetas.

Supondo que baste um recipiente, coloque os de uso contínuo à frente, seguidos dos de uso frequente. Atrás desses vêm aqueles ingeridos esporadicamente.

Se preferir, organize uma caixa para cada frequência de consumo. Na hora de acomodá-las no armário ou na gaveta, vale a regrinha de deixar mais à mão aquela que é necessária todo dia. Medicamentos líquidos devem ser mantidos de pé para não vazar.

Preserve os medicamentos em suas embalagens originais, pois elas trazem a data de validade e a bula com indicações de uso, efeitos colaterais etc. Além disso, as cartelas ajudam a manter a qualidade do produto e a livrá-lo de contaminações.

Eu não gosto muito dessa solução, mas, se você não tiver espaço para manter as caixas do jeito que elas vêm da farmácia, abra-as e guarde-as espalmadas, junto com as bulas. Coloque-as na mesma caixa em que estiverem as cartelas dos diferentes remédios. Assim você pode consultar as informações sempre que necessário.

Medicamentos para idosos

No caso de idosos, a memória não ajuda muito, então talvez valha a pena montar um organizador com divisórias para os comprimidos a ser ingeridos no dia. Recorte a cartela preservando cada comprimido em seu invólucro e distribua esses trechos pelos nichos do organizador. Caixinhas com divisórias removíveis são muito úteis nesse caso, como esta:

CAIXA DE medicamentos com divisórias removíveisDe propósito, eu deixei para o final algo muito importante: sempre confira a data de validade dos medicamentos. Gente, ingerir remédio vencido é no mínimo inútil. Pois ele pode não produzir o efeito esperado. Mas pior será se provocar outros efeitos. Nunca tome medicamentos fora da validade, nem aqueles que estiverem com aspecto estranho: grudentos, moles, duros demais, desbotados. Reúna-os e descarte-os nos postos de coleta nas farmácias autorizadas. Não vale jogá-los no vaso sanitário, nem misturá-los no lixo comum.

Por hoje já falei demais sobre remédios. Estou quase me sentindo hipocondríaca e disso eu não gosto. Bora viver a vida com mais saúde, gente!

Um beijo,
Mica ♥

Imagens: Cookiecatagency/iStock – Meu Móvel de Madeira