7 formas de organizar suas receitas Os métodos são muitos, portanto cabe a você entender a qual sistema se adapta melhor!

0
como organizar as receitas?

Ok! Eu sei que muitas pessoas ainda não conseguiram se desapegar das velhas caixinhas repletas de fichas escritas à mão, como na foto acima. Mas hoje em dia existem tantas outras formas de organizar as receitas que eu quis falar sobre o tema aqui, atendendo ao pedido de uma leitora do blog.

Antes de esmiuçar o tema, porém, quero dar uma notícia para os fãs da Vovó Risoleta: estou preparando um livro com as melhores receitas da minha avozinha querida. Ele será lançado antes do Natal, o que significa que você pode pedir um exemplar ao Papai Noel! Bom, né?

Mas, voltando ao tema deste post, preciso fazer uma pergunta: você prefere papel ou computador na hora de organizar e consultar suas receitas?

Tem gente que adora a praticidade de ir para o computador, o tablet ou o celular e procurar tudo o que precisa, inclusive receitas. Com a vida corrida que se leva hoje em dia, isso pode encurtar a processo – desde que você saiba exatamente o que está buscando.

Mas eu entendo quem tem apego ao papel. Quem adora um caderninho para isso, outro caderninho para aquilo – desde que não haja mais um e mais um e mais um, tá? Porque, se isso acontecer, serão dois os problemas: a limitação de espaço e a dificuldade de encontrar o que precisa!

Vamos começar pelas regrinhas que valem tanto para o papel quanto para o computador:

  1. O critério mais que básico é dividir as receitas por categoria, como fazem os livros especializados. Se houver um índice, ele será assim: aperitivos, saladas, sopas, massas, aves, carnes, peixes, acompanhamentos, pães, bolos e sobremesas. Outra sugestão é segmentar pelo tipo de culinária, caso você goste de passear pelas cozinhas do mundo: asiática, brasileira, italiana, portuguesa, francesa, etc;
  2. Receitas para testar: essa é uma subcategoria que pode estar dentro de cada uma das categorias anteriores. Se você apenas ocasionalmente experimenta um prato diferente, setorize as receitas novas de forma mais simples, apenas como salgadas ou doces;
  3. Sempre que testar uma preparação nova, transfira-a para a categoria definitiva – caso tenha sido aprovada, claro. Ou dispense-a, se não tiver gostado.
  4. Uma dica legal é fotografar o prato pronto e juntar a foto à receita, registrando algum truque de preparo, uma modificação que tenha feito ou que queira fazer na preparação.

Para quem usa papel

Caderno

Se preferir a forma mais tradicional de organizar receitas, mantenha dois cadernos: um para salgados e outro para doces. Escolha modelos resistentes, com capa dura e espiral, mais fáceis de folhear e de manter na página desejada. Separe uma quantidade de folhas para cada categoria, levando em conta as receitas que já têm e as que acrescentará no futuro.

Scrapbook

É um álbum de colagem, mas só para receitas. Depois de separadas as páginas para cada categoria, você pode preenchê-las de diferentes formas, ou seja, escrevendo à mão e colando receitas retiradas dos mais diversos locais: revistas, rótulos (limpos!!!!), impressas a partir do computador. Dá até para pegar aquela folhinha de papel que já está se desmanchando, mas tem uma receita deliciosa anotada pela sua avó, e fixá-la no caderno. E você pode, ainda, fotografar esse papel e colar a imagem.Scrapbook de receitas

Fichário

Você é da época em que as meninas colecionavam papel de carta? A ideia é a mesma aqui: um fichário cheio de envelopes plásticos transparentes, cada um deles preenchido com pelo menos duas receitas, uma na frente e a outra no verso. Se tiver um monte de receitas, use um fichário para salgados e outro para doces para que a pasta não fique pesada demais.

Concordo que esse sistema pode ser menos charmoso que um caderno ou um álbum de scrapbook. Mas a praticidade e a higiene dão de 10 x 0.

No fichário você pode colecionar receitas escritas à mão, impressas, recortadas de revistas e jornais etc. Se acabar o espaço de uma categoria, é só acrescentar mais envelopes plásticos e pronto.

Além disso, não é preciso levar a pasta completa para a cozinha: basta pegar o envelope que interessa. E se algum ingrediente espirrar nele, é só passar um paninho com uma gota de detergente e devolver ao fichário após a conclusão do prato.

Vai dizer que não é muito mais fácil?!

fichário para receitas

Livros de culinária

Em geral eles são bonitos, então vale a pena incluí-los na decoração, criando um cantinho para eles na estante ou em uma prateleira. Assim você sempre se lembrará de consultá-los quando quiser ideias para o almoço.

livros de receitas

Para quem usa computador, celular e tablet

Pastas no computador

Assim como a gente cria pastas para assuntos de trabalho, dá para criar pastas para tipos de receitas. É só seguir aquelas categorias que eu citei lá no início deste post (aperitivos, saladas…). E você pode ter diferentes tipos de arquivo dentro de cada pasta. São documentos em word, fotos, PDFs etc. Assim como no papel, vale abrir uma subcategoria de preparações para teste.mulher fazendo receita com computador

 

Arquivos online

 

Para consultar sua coleção onde quer que esteja e de qualquer dispositivo (computador, tablet, smartphone), mantenha-a na nuvem. Use aplicativos como Evernote, Google Docs, iCloud, Google Drive e Dropbox. Se você utiliza o Pinterest, também pode criar painéis temáticos de receitas dentro dessa rede social.

Apps de receitas

 

 

Existe uma infinidade de aplicativos gratuitos, muitos deles com receitas testadas. É escolher, baixar, navegar e experimentar as sugestões. Não gostou? Parta para outro!

tablet com app de receitas

Não será por falta de métodos de organização de receitas que você deixará de surpreender a família e os amigos com sabores marcantes, hein?

Beijos,
Mica ♥

Imagens: iStock/Feira de Ideias- ELO7/vadimguzhva- iStock/Cris Teixeira