Por que não se deve arear panelas de alumínio? Que nos perdoem as nossas avós, mas elas estavam erradas quando nos ensinaram a polir as panelas. Há outros meios de deixar os utensílios limpos e brilhantes sem prejudicar a saúde

0

Se a gente tomar ao pé da letra, o verbo arear significa usar areia para limpar ou polir alguma
coisa. E como nossas avós, bisavós e outras mais já arearam! Com areia, saponáceo ou mesmo
palha de aço. Mas hoje já se sabe que essa prática tão antiga para clarear panelas e tabuleiros
de alumínio escurecidos pode fazer mal à saúde – e não só à do braço que esfrega e esfrega e
esfrega.

Quando a gente passa qualquer material abrasivo em um recipiente de alumínio – até mesmo
garfos e colheres –, micropartículas do metal se soltam. E o alumínio que a gente ingere e se
acumula no organismo poderia estar por trás de doenças como Mal de Parkinson e Mal de
Alzheimer, o que a ciência ainda não conseguiu comprovar nem descartar de vez.
Mas, não é porque o excesso de alumínio talvez contribua para doenças graves, que está
proibido o uso de panelas feitas desse metal. Podemos usá-las, sim. Mas devemos cuidar bem
das peças e nunca empregar palha de aço nem o lado grosso da esponja ao lavá-las. Ou seja,
arear? Nem pensar!

Mas como é que eu faço quando a panela queima, Micaela? Deixo
preta?

Não, de forma alguma. Existem várias dicas caseiras eficientes e seguras para trazer o brilho de
volta a esses utensílios. Aliás, a eles e aos feitos de inox, outro material que escurece conforme
o uso no fogão.

Quando a lavagem comum não dá conta de clarear as peças, você pode:

– levar a panela ao fogo com água e algumas rodelas de limão. Deixar ferver por alguns
minutos;

– ou polvilhar bicarbonato de sódio dentro da assadeira, jogar água fervente e esperar agir por
15 minutos. Se for uma panela, ponha a água para ferver com o bicarbonato

– ou jogar ketchup nas partes queimadas e, após 15 minutos, retirá-lo com papel toalha e,
então, esfregar um limão cortado ao meio.

Se escolher qualquer um desses métodos, depois é só lavar a panela do modo tradicional, com
água, detergente e o lado macio da esponja para que ela fique reluzente.
Outra opção, ainda, é usar um detergente caseiro perfeito para itens de alumínio. Você vai
precisar de:

– 500 ml de água
– 1 barra de sabão de coco
– 2 limões
– 2 colheres (sopa) de açúcar
Rale o sabão, despeje-o em uma panela com a água e leve-a ao fogo. Depois que dissolver
bem, desligue e acrescente o suco dos limões e o açúcar. Espere esfriar e transfira o
detergente para uma garrafa ou borrifador. Está pronto o seu detergente!

E se a panela estiver queimada por fora?

Se for o lado externo do utensílio que tiver escurecido, minha receita favorita é virá-la com a
boca para baixo, cobrir o fundo externo com uma folha de papel toalha e umedecê-la por
inteiro com vinagre branco. Aguarde 10 minutos e então lave. É tiro e queda!

Já vi várias receitas caseiras na internet, porém ainda não tive tempo de testar todas. E como
essas que ensinei aqui são fáceis e rápidas, acabo deixando as outras para depois. Mas se você
tiver uma dica sensacional, me mande!

Beijos,

Mica

 

 

Como higienizar frutas e legumes Aprenda a remover sujeirinhas, desinfetar e reduzir a quantidade de agrotóxicos na casca dos vegetais que come

0

Pessoal, hoje eu quero bater um papo sério sobre limpeza… de frutas e legumes!

Afinal, se a gente faz de tudo para deixar a cozinha limpa e organizada, não dá para descuidar justamente quando o assunto é aquilo que a gente come, certo?

Eu adoraria lavar frutas e legumes assim que chego da feira ou do supermercado, como faço com a salada, mas descobri que esse ato de higiene acaba sendo prejudicial à qualidade do alimento. Dá para acreditar? Como eu mesma fiquei muito surpresa, resolvi escrever um post exclusivamente sobre a questão: se você ainda não o viu, clique aqui  e entenda tudo direitinho.

Foto: Monzenmachi/iStock

De qualquer forma, lavando com antecedência ou apenas na hora do consumo (conforme o vegetal), há um passo a passo a seguir.

Limpeza em água corrente

Se houver talos e outras partes não comestíveis, assim como pedaços machucados ou apodrecidos, retire-os sem dó nem piedade! Sabia que eles são a porta de entrada para mais bactérias e fungos?

Nessa lavagem inicial, use uma escovinha para esfregar os tubérculos – como as batatas – e os legumes e frutas que serão consumidos crus.

Vale lembrar que todos – T-O-D-O-S, viu? – os vegetais e frutas devem passar pela limpeza em água corrente, até aqueles que serão comidos sem a casca, como laranja e melancia. É que, com a faca ou mesmo com as mãos, a gente pode acabar levando para a polpa sujeiras que estão do lado de fora.

Lenda x ciência

Reza a lenda que a imersão em uma mistura de água e bicarbonato de sódio reduziria a concentração de pesticidas nos alimentos. Porém, segundo a nutricionista Viviani Fontana, conselheira do Conselho Regional de Nutricionistas – 3ª Região SP/MS, não existe evidência científica dessa ação. “Se há agrotóxico, ele está em todo o alimento e na lavagem não conseguimos retirá-lo”, explicou-me. E, se é para diminuir a quantidade só na casca, a lavagem cuidadosa – como eu ensino aqui – já faz isso, sendo o bicarbonato desnecessário.

Adeus, micro-organismos!

A última fase da higienização, que vale também para os orgânicos, pede que frutas e legumes fiquem imersos por 10 a 15 minutos em um produto para desinfecção de alimentos. Pode ser a água sanitária – desde que o rótulo informe que aquela marca específica pode ser usada para esse fim – ou algum outro produto à base de hipoclorito de sódio (que é o princípio ativo da água sanitária), de acordo com o Ministério da Saúde e a Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária). Se escolher a água sanitária, a concentração recomendada é de uma colher de sopa para cada litro de água. No caso dos outros produtos, siga as orientações do rótulo.  

Enxágue final

Depois dessas etapas, abra a torneira sobre os alimentos e permita que a água corrente leve embora os últimos resquícios de bactericida e micro-organismos.

Papel toalha para enxugar

Nada de deixar os vegetais molhados – a não ser que vá colocá-los na panela imediatamente. Seque-os muito bem com papel toalha, principalmente se for guardá-los por um ou dois dias.

Lição dada é lição aprendida, hein?!

Beijos,
Mica ♥