Receita da Vovó: Bolinho de Chuva Hmmm que bateu aquela saudade da infância quando a vovó prepara para nós esses deliciosos bolinhos!

0

Essa receita é, daquelas que todo mundo deveria ao menos uma vez na vida experimentar! Esses bolinhos são gostosos demais!! Eu me lembro muito bem quando a Vovó preparava pra gente os famosos bolinhos de chuva, ô saudade!

Vamos a receita?

Ingredientes

1/2 quilo de farinha de trigo;

2 copos de água;

açúcar a gosto;

1 ovo;

1 colher de sopa bem cheia de fermento;

1 pitada de sal;

açúcar e canela para polvilhar;

Modo de Fazer

  1. Misture todos ingredientes;
  2. Frite em óleo brando*, às colheradas;
  3. Polvilhe com o açúcar misturado com a canela.

*dica: para saber se o óleo está no ponto certo de fritura, jogue um palito de fósforo dentro da frigideira, quando o palito acender está em seu ponto ideal para fritura.

Bora se lambuzar com os bolinhos? depois me contem se vocês gostaram!

 

Beijos,

Mica e Vovó

O guia prático dos congelados – nível avançado Enfim chegamos à reta final: quem dominar esses truques e segredinhos incríveis já pode tirar o diploma de expert em congelamento!

0

Já aprendemos o bê-á-bá da comida congelada, além dos macetes para deixar tudo
bem embalado e o freezer sempre em ordem. Sabe o que eu quero compartilhar com
você neste post para fechar o nosso guia? Dicas bem específicas que fazem toda a
diferença na hora de congelar ou descongelar determinados alimentos. Eu penei
bastante antes de descobrir algumas delas, por isso assino embaixo e garanto: essas
valem ouro, minha gente.

• Temperos

Salsinha e cebolinha podem morar no congelador sem dramas, disso todo mundo
sabe. Mas você curte aquela história de ficar raspando o bloco empedrado com o
garfo ou a colher? Pois eu não acho nada prático. Minha sugestão é fazer como na
foto acima: acrescente um pouco de água às ervas picadas, pré-congele na forminha
de gelo e, depois, transfira os cubos para sacos plásticos.
Seguindo o mesmo passo a passo, também dá para fazer cubinhos aromáticos de
azeite ou manteiga com ramos de alecrim, sálvia ou tomilho. Somente manjericão e
hortelã não aceitam essa tática.

• Ovo

Congelar o ovo inteiro não pode (a não ser que você goste de casca estourada e muita
meleca hehe), mas clara e gema podem ir ao freezer numa boa. Para usá-las juntas
ou apenas a gema, a receita é uma só: mexa ligeiramente com um garfo e acrescente

uma pitada de sal ou açúcar antes de congelar – a ideia é evitar que a gema fique
granulada. Se a clara estiver sozinha, congele ao natural.

• Arroz

Quem nunca se decepcionou ao descongelar comida? Comigo isso sempre acontecia
com o arroz. Por mais que os manuais dissessem que os grãos cozidos podem ser
levados ao freezer, o resultado final não me satisfazia.
E dá-lhe testes até descobrir que o arroz congelado perfeito tem dois segredos. O
primeiro é mandar ver em uma embalagem que não deixe quase nada de ar, como um
saco plástico bem apertado. O segundo é descongelar o arroz no micro-ondas,
colocando por cima duas ou três pedras de gelo e uma folha de papel toalha
umedecido. Em geral, cinco minutos são suficientes, mexendo na metade do tempo.

• Leite

Ao descongelar o leite, já me aconteceu de a gordura separar inteirinha. Arrisquei
bater no liquidificador para ver se misturava e… adivinha? Deu super certo! 🙂

• Pão

Congelar pão não tem nenhum mistério – e o francês fica crocante por fora e macio
por dentro, sim. Ele, a baguete e o ciabata, por exemplo, ficam ótimos quando a gente
tira do congelador, espirra água por cima e coloca no forno aquecido.
Outro truque, para quem prefere descongelar o pão antes de aquecê-lo é deixá-lo por
10 minutos em temperatura ambiente ou aquecer por 30 segundinhos no micro-ondas
em potência média. Depois disso é só levar ao forno elétrico ou a gás pré-aquecido,
por 2 ou 3 minutos.

Ah, também dá para congelar a massa crua: basta adicionar 1/3 a mais de fermento
do que a quantidade pedida na receita.

• Vinho

Para terminar, uma dica que eu considero de utilidade pública. Sobrou vinho?
Abasteça a santa forminha de gelo com a bebida e, mais tarde, transfira os cubos para
um saco plástico. Da próxima vez que uma receita pedir um pouco de vinho, você não
vai precisar abrir uma garrafa só para cozinhar. E, claro, se isso acontecer antes de
você ter esse estoque, é só inverter a ordem: use a quantidade necessária e congele o
resto.

E então, pessoal, depois de todas essas lições para deixar a cozinha mais prática,
saudável e livre de desperdícios, será que ainda há preconceito com comida
congelada que resista? Espero que não, hein!

Beijos geladinhos,

Mica ♥

O guia prático dos congelados – nível intermediário Chegou o momento de conhecer algumas táticas que podem revolucionar sua relação com o freezer e ajudar a mantê-lo sempre nos trinques.

0

No primeiro post desta série, vimos as regras e os cuidados
essenciais para congelar os alimentos básicos sem erro – o que, diga-se de passagem, já é o
suficiente para deixar a vida mais saudável e descomplicada. Agora, se você quer realmente
começar um caso de amor com seu freezer ou congelador, esse papo vai além. É hora de
conversar sobre pré-congelamento, armazenagem e, claro, meu assunto preferido,
organização!

Pré-congelamento é a dica de ouro

• Você já teve de lidar com carne congelada grudada no plástico da embalagem? Ou com
legumes picadinhos que acabam empedrando e virando uma maçaroca só? Pois esses e outros
dramas podem ser evitados com o pré-congelamento, isto é: levar o alimento ao freezer
dentro uma assadeira por cerca de três ou quatro horas – a fim de que ele ganhe firmeza –
antes de partir para a armazenagem definitiva.
• Essa técnica é uma maravilha para congelar filés e hambúrgueres, por exemplo. Disponha-os
no tabuleiro sem que se toquem e, depois, embale-os um a um com uma dupla camada de
filme plástico. Vegetais picados também devem ser bem espalhados na hora do pré-
congelamento para que os pedaços não grudem uns nos outros. E ainda dá para pré-congelar
em forminhas de silicone porções individuais de pratos prontos, como arroz, feijão, sopa… Na
sequência, transfira-as para sacos plásticos e veja quanto espaço vai economizar.

Por falar em embalagem…

• Sólidos e pré-congelados em geral ficam super bem armazenados nesses saquinhos próprios
para freezer ou com a técnica da dupla camada, que pode ser de filme plástico ou de papel
alumínio com a face brilhante voltada para dentro.
• Se for usar recipientes de vidro, verifique se são do tipo temperado, ou seja, resistente a
variações de temperatura. No caso dos plásticos, o ideal é que sejam bisfenol free – do
contrário, eles não poderão ser descongelados no micro-ondas nem em banho-maria, ok?
• E não custa lembrar: ao congelar líquidos, deixe um espaço livre para que o conteúdo possa
se expandir numa boa. Aposto que quem já teve um pote de vidro estourado no freezer nunca
mais esqueceu a lição!

Manter a ordem é preciso

• Vamos combinar que não adianta nada ir acumulando potes e mais potes, saquinhos e mais
saquinhos e, de repente, não saber mais o que é frango de anteontem, couve-flor da semana
passada ou abacaxi que já fez aniversário, né? Toda e qualquer embalagem deve conter o
nome do item, a data do congelamento e seu prazo de validade. Confira na lista a seguir o
tempo máximo de congelamento dos principais alimentos e, na dúvida, saiba que quase tudo
dura pelo menos 2 meses e no máximo 1 ano no freezer:

Carne bovina fresca: de 9 a 12 meses
Carne moída ou hambúrguer: 3 meses
Linguiça, salsicha e bacon: 2 meses
Frango: de 6 a 9 meses
Peixes e frutos do mar: de 3 a 6 meses
Laticínios: até 8 meses
Vegetais: de 8 a 12 meses
Pães e bolos: até 6 meses
Pratos prontos: até 3 meses

• De tempos em tempos, dê uma geral e traga para a frente os produtos mais antigos – isso vai
estimular que eles sejam consumidos logo.
• Mesmo que o seu equipamento seja frost free, ao menos uma vez por ano, descongele tudo
e limpe o compartimento inteirinho. É questão de higiene!
Aproveite para conferir aqui outras dicas que vão deixar a bagunça bem longe do seu freezer.
Garanto que você não vai se arrepender de continuar nessa fria comigo. 🙂

Beijos,

Mica ♥

 

Receita da Vovó: Torta de Ricota Que tal uma torta deliciosa para o café da tarde?

0

Quando chega aquela hora especial da tarde do café nada melhor que uma torta bem deliciosa e saborosa para acompanhar o café, não é mesmo? Ainda mais quando a receita é super fácil de fazer!!

Preparados para anotar tudinho?

Ingredientes

1 lata de leite condensado;

1 ricota;

2 copos de leite;

2 colheres de sopa de maizena;

3 colheres de sobremesa de açúcar;

1 colher pequena de baunilha;

4 gemas;

Modo de Fazer

  1. Bata todos os ingredientes no liquidificador;
  2. Despeje em uma forma de torta (aquelas que abrem);
  3. Leve ao forno e prontinho!! 😛

Pode servir acompanhada de geléia de damasco, amora ou framboesa! Por aqui, fiquei com água na boca!

 

Beijos,

 

Mica e Vovó ♥