Os setores de um ateliê de costura Porque a organização do espaço de trabalho começa pela criação de cantinhos conforme as tarefas.

1
Maquina de costura velha

Seja qual for o tamanho da área destinada ao ateliê, algumas regrinhas são sempre válidas – basta aplicá-las no seu espaço:

Setorize o ambiente

Criando cantinhos de acordo com as funções de cada material no ateliê.
Na área da máquina de costura, guarde os tubos de linha que mais usa, as agulhas da máquina, sapatilhas, bobinas, tesouras, fitas métricas etc. Separe um espaço para o estoque de aviamentos: linhas, lãs, agulhas, botões, zíperes, fitas, rendas.
Em outro canto, próximo da mesa de corte, deve ficar o setor de tecidos.

Separe os materiais por tipo

A partir daí, você parte para a micro setorização.

  • Atenção, atenção 1: para definir os tamanhos das caixas que utilizará, leve em conta o que será guardado dentro de cada uma e onde elas serão agrupadas.
  • Atenção, atenção 2: quanto menor o item, menor o recipiente. Ou seja, nada de guardar colchetes onde cabe um par de sapatos! Essa caixa provavelmente será melhor para cones de linha de costura.  Aqui, eu mostro vários produtinhos que encontrei na Organiza Brasil e podem te ajudar nessa tarefa!

Cones de costura setorizados dentro de caixa transparente

Sabe todos os itens que eu mencionei no tópico 1 – linhas, botões, fitas, tecidos etc? Organize-os em caixas plásticas transparentes, de tamanhos variados. Aqui eu dou alguns exemplos e depois você replica o critério para os outros materiais, tá?.

Botões: ficam perfeitos naquelas caixas com divisórias quadriculadas muito usadas para guardar parafusos. Também dão certo em vidros com tampa de rosca e em potinhos de comida para bebê.

aviamentos e botões separados dentro de caixa transparente com divisórias no atelie

Fitas: as que estiverem em uso podem ir para um porta-papel-toalha. Os rolos em estoque vão para caixas com tampa.

Tecidos: são várias as formas de guardá-los. A melhor vai depender da quantidade e do seu uso. Se trabalhar com patchwork, ordene por cores; se fizer roupas, por tipo de tecido: veludo, seda, algodão etc.

Tecidos organizados em caixas

Você pode dobrar os panos ou fazer rolinhos com eles, colocando-os dentro de caixas. Se elas ficarem em prateleiras abertas, tampas são essenciais para preservar o conteúdo do pó. Dentro de armários, depende do seu gosto, mas eu prefiro ter tudo tampado por três motivos: os tecidos ficam mais limpos; o espaço rende mais, porque você pode empilhar dois recipientes; e, se algum deles cair, o risco de os panos se espalharem é menor.

No primeiro episódio da temporada atual do Santa Ajuda, eu aproveitei aqueles arquivos plásticos com pastas suspensas para organizar parte dos tecidos – a ideia só funciona se for um pedaço leve e pequeno, de uns 70 x 70 cm, que você pode dobrar e pendurar na pasta. Fica uma graça e fácil de visualizar. Quer conferir tudo sobre o primeiro episódio? É só clicar aqui

micaela Góes segurando caixas com tecidos organizados

E dá-lhe etiquetas! Se você bate o olho em uma caixa e não percebe logo o que tem dentro dela, use etiquetas de identificação. Elas vão evitar que você pegue uma linha para bordar, quando precisa de uma linha de costura, por exemplo. E também resolvem a vida, caso os recipientes não sejam transparentes.

Você tem uma coleção de moldes? Uma série de revistas com a última moda de 1998? Hum, corra para fazer uma limpa no seu acervo e só manter aquilo que realmente usa. O que não serve mais, doe ou jogue no lixo reciclável, e organize em revisteiros os itens que restarem.

Tudo encaixotado? Agora guarde as caixas de acordo com os setores criados antes: máquina, aviamentos e tecidos. Lembra?

A regra número 1 é ter acesso rápido àquilo que é sempre necessário. Então, no armário dos tecidos, os que só saem de vez em quando vão para as prateleiras perto do chão ou lá no alto. Com as linhas – no outro setor, veja bem! – é a mesma coisa. E por aí vai. Não se esqueça de um cantinho para os revisteiros com moldes.

É isso, minha gente! Organizado o ateliê, o importante é manter a arrumação e não acumular mais coisas do que você pode guardar. Lembre-se de que o espaço deve ser o seu limite.

Um beijo,
Mica ♥

Imagens (em ordem): Nesser 3321/iStock; Equipe Santa Ajuda

Um canto de estudos pede… ...bancada, móveis para armazenar livros e cadernos, cadeira confortável e luz adequada. Isso é o mínimo e não importa se o usuário é você ou uma criança.

6
canto de estudos com mesa cm computador e livros organizados

Ler e escrever exigem concentração. E você já sabe o quanto a organização contribui para isso, né? Não é à toa que é tão importante reservar um canto de estudos para estes momentos.

Você já aprendeu aqui, a organizar e escrivaninha. Que tal aprender a organizar todo o cantinho de estudos agora?

Na falta de um home office, escolha um cantinho da casa que esteja minimamente protegido do movimento. Em geral será no quarto – aliás, no caso das crianças, isso é o mais comum. Mas há quem seja feliz instalado no vão sob a escada, ou no terraço envidraçado do apartamento. Nessas áreas menos privadas, deixar a cadeira de costas para a circulação contribui para não perder o foco.

Pensando na organização geral da área, você vai precisar de:

Bancada

Pode ser uma escrivaninha, uma mesa ou mesmo um conjunto composto por cavaletes e tampo. Caso o móvel não tenha gavetas, um gaveteiro será muito útil para guardar os itens de papelaria. É que esse negócio de deixar tudo em cima da mesa não funciona. Onde você abrirá o material de estudo se a superfície estiver tomada por um monte de coisas? Uma caneca com duas ou três canetas não atrapalha ninguém ao lado do computador, mas não passe disso, ok? Tá bom, você também pode ter um calendário e uma caderneta para lembretes – eu deixo. ; )

Se estiver montando o canto de estudos do seu filho ou da sua filha e optar por mobiliário infantil, lembre-se de que ele só serve até os 12 anos.

Cadeira ergonômica

Ela precisa acomodar bem o corpo para não causar problemas posturais. Pode ou não ter braços, mas será muito melhor se a altura do assento for regulável. Assim ela fica certinha em relação à mesa. Depois desse ajuste, se os pés não tocarem o chão, providencie um apoio.

Luminária de mesa

Ela completa a iluminação geral. Eu adoro os modelos articulados, que podem ser regulados conforme a necessidade. Pessoas destras devem manter a luminária à esquerda, para não criar sombra sobre o livro ou o caderno. No caso dos canhotos, é só inverter a posição. Caso haja um computador ou notebook, o facho de luz deve cair atrás ou ao lado da tela.

Prateleiras

Sabe por que elas são as melhores amigas da bancada? Porque deixam a superfície livre! É que, dependendo da quantidade de livros, cadernos e apostilas, só as gavetas podem não ser suficientes para guardá-los.

Uma dica certeira é lançar mão de revisteiros para ordenar o material e mantê-lo de pé, ocupando menos espaço. Cadernos podem ficar em um, livros em outro, apostilas em outro ainda e por aí vai. Outro critério de organização é por assunto ou disciplina, o que funciona muito bem quando se está na escola, no cursinho e na faculdade. Identificando os revisteiros com etiquetas será ainda mais fácil encontrar o conteúdo para estudar em casa ou para colocar na mochila.

Reserve um trecho das prateleiras para pastas. Elas são a melhor solução para quem tem vários papéis soltos – mas nem pense em juntar todos! Escolha pastas de cores diferentes para organizar os papéis por assunto. E dá-lhes etiquetas!

Quadro de avisos

Pode ser uma lousa, um painel de cortiça ou um quadro metálico. O importante é ter um lugar onde registrar provas e outros compromissos, anotar lembretes etc. Que tal aprender a fazer um quadro de avisos com rolhas? Vem ver esse vídeo incrível que separei! 

No canto de estudo das crianças, uma ideia bem legal é fixar um rolo de papel acima da escrivaninha, como fez a arquiteta Leila Bittencourt, do escritório Oba!Arquitetura, no projeto que eu mostro abaixo. O rolo vai servir para fazer as anotações necessárias, mas também para os pequenos desenharem à vontade.  

Rolo de papel instalado na parede do quarto de criança do Oba!Arquitetura

Gancho de parede

Instale um gancho próximo da escrivaninha e nunca mais a mochila ficará jogada no chão ou em cima da cama!

Lixeirinha

Não preciso explicar, né?

Dica de ouro:
Você já conhece a Escrivaninha Setorize by Micaela Góes? Com vários nichos e gavetinhas, ela poupa MUITO espaço e mantém tudo organizadinho. Aí não tem desculpa! Veja o produto aqui

Com um espaço assim organizado, eu tenho certeza de que as horas de estudo vão render muito mais!

Beijos,
Mica ♥

Imagens: iStock – Divulgação

Receitas da Vovó: Trufa de Chocolate Quem não gosta de um bom docinho? Hoje a Vovó Leleta ensina sua receita de trufas de chocolate pra adoçar a vida!

0
receitas da vovó: receita de trufa

Você sabia que a palavra “trufa” significa fungo? É sim! Trufa ou túbera é um nome popular dado aos corpos frutíferos subterrâneos das espécies de Tuber, um gênero de fungos. Interessante, né?

Mas como toda boa receita, a trufa também tem uma história bem inusitada e a Vovó Leleta fez questão de compartilhar essa história com a gente!

Conta-se que foi no século XIX. Um confeiteiro austríaco errou a receita de sobremesa de chocolate para um príncipe. E pra não decepcionar os convidados e nem o próprio príncipe, ele enrolou o chocolate e polvilhou com cacau em pó. Recebeu o nome de trufa, porque ficou muito semelhante com os fungos túberes.

Para aumentar a durabilidade do doce, a cobertura de cacau em pó foi substituída pela cobertura de chocolate nas receitas mais recentes.

Mas, chega de papo que deu fome! Vamos anotar a receita?

Ingredientes

1 tablete de chocolate em barra (250 gramas);
2 colheres de sopa de leite;
2 gemas;
50 gramas de açúcar;
100 gramas de manteiga;
1 pacote de chocolate em pó

Modo de fazer

  1. Derreta o chocolate ralado com 2 colheres de leite;
  2. Bata 2 gemas com 50 gramas de açúcar, como para gemada – reserve;
  3. Derreta 100 gramas de manteiga, junte ao chocolate e leve ao fogo para engrossar;
  4. Retire do fogo e junte, vagarosamente, as gemas batidas, mexendo sempre;
  5. Despeje num prato e guarde para o dia seguinte;
  6. Tome bocados da pasta e enrole como batatinhas irregulares imitando trufas;
  7. Passe em chocolate em pó ou coloque na geladeira para endurecer

Dica da Vovó: Nos doces, é recomendável usar manteiga sem sal. 

Agora é só botar a mão na massa e fazer aquela trufa deliciosa pra família toda!

Perdeu a receita da semana passada? Não tem problema, não! Espia aqui!

Beijos,
Mica e vovó Risoleta ♥

 

O que fazer com remédios vencidos? O correto é entregá-los em postos de coleta de específico.

0
sobras e caixas de remédios

Restinhos de xarope, sobras de comprimido de um tratamento, cápsulas de remédio fora da validade… Não importa o tipo de medicamento que você tem para jogar fora, o caminho é um só: o descarte em postos autorizados, de onde serão enviados para incineração cuidadosa.

“Apenas unidades de saúde – como as farmácias – podem manter estações de coleta”, afirma José Francisco Agostini Roxo, da BHS – Brasil Health Service, empresa que responde pelo programa Descarte Consciente. Sete anos após o lançamento da iniciativa, oito redes de farmácias integram o programa, totalizando, hoje, quase 850 postos de coleta em 16 estados brasileiros.

Misturar medicamentos no lixo comum ou mandá-los descarga abaixo dá no mesmo: contaminação do solo e das águas, o que só traz risco para a saúde dos animais e da gente.

Pelo que conta José Francisco, três famílias juntam o equivalente a 1 kg de remédios vencidos por ano – esse número não considera sobras que a gente joga fora mesmo dentro da validade. E esse 1 kg, quando eliminado de forma incorreta, polui 450 mil litros de água. Não dá para a gente continuar fazendo isso, né?

Dependendo do estado e da localidade, há estações que só aceitam medicamentos nas caixas, pois assim o código de barras é registrado, uma forma de garantir a destinação do produto. Outros, mais simples, não fazem essa distinção.

A dica, portanto, é organizar seus remédios mantendo-os sempre nas caixinhas originais, com a bula. No posto de coleta, você mesmo fará a separação entre a cartela e o restante da embalagem, se for o caso.

Quem entra no website www.descarteconsciente.com.br descobre os endereços onde pode entregar os medicamentos. E encontra, também, a seguinte orientação: “Caso seu estado ou sua cidade ainda não esteja em nossa relação, procure informações nas UBS (Unidades Básicas de Saúde)”.

Eu já conferi qual o posto de coleta mais próximo da minha casa e vou passar lá para entregar os medicamentos de que não preciso mais.

Recado dado, recado entendido, gente?

Beijos,
Mica ♥

Imagem: Cristiane Teixeira