Receitas da Vovó: Torta de Limão Quem nunca ficou com água na boca vendo uma torta de limão na vitrine da confeitaria? Pois agora você pode fazer em casa, espia essa receita da Vovó Risoleta!

0
Torta de Limão sem Leite Condensado

Chega de passar vontade! Vovó Leleta hoje vai ensinar a gente a fazer uma torta de limão deliciosa e que vai tirar todo mundo da dieta.

Enquanto ela me ensinava a receita, ela contou que uma das origens da torta de limão aconteceu porque, depois da Guerra Civil, aconteceu uma grande devastação nas plantações da região sul da América do Norte. Com essa escassez de ingredientes, as doceiras buscaram alternativas e passaram a usar aquilo que tinham ao alcance das mãos: limão, biscoito e leite condensado!

Agora: papel e caneta na mão porque tem receita vindo por aí!

Ingredientes

200 gramas de biscoito Maizena;
100 gramas de manteiga;
1 e 1/2 xícaras e açúcar;
6 colheres de sopa de suco de limão;
Cascas raspadas de 3 limões;
5 ovos;
1/3 xícara de manteiga (recheio)

Modo de Fazer – massa

  1. Ligue o liquidificador e, com o aparelho em movimento, vá colocando porções de biscoito partido até triturar bem;
  2. Depois de triturados, os coloque numa vasilha e adicione 10 gramas de manteiga, amassando com a mãos;
  3. Forre os fundos e os lados da forma com essa massa, apertando bem. Depois, leve à geladeira por 5 minutos;
  4. Asse em forno bem quente durante 5 minutos, baixe a temperatura e asse durante 25 a 40 minutos, até que a massa esteja dourada.

Modo de fazer – recheio

  1. Recheie a torta com o creme: bata bom os ovos com o açúcar e a manteiga até esbranquiçar, acrescente o suco e as raspas de limão e bata bem novamente.

Conta pra gente o que você achou da receita!
Ah, e não esquece de dar uma espiada na receita da semana passada aqui e faz um papão de anjo pra acompanhar sua torta de limão!

Beijos
Mica e Vovó ♥

 

Cristais tinindo Taças embaçadas? Copos grudados? Este post põe fim a esses problemas!

0
Mulher polindo taça de cristal

Adivinha quem me ensinou a limpar os cristais como taças, copos e vidros? A Vovó Risoleta, claro! E como a vovó fica toda orgulhosa quando eu compartilho os conhecimentos dela, cá estou com dicas bem fáceis de seguir.

A primeira coisa que eu aprendi foi que cristal não combina com lavadoras de louça nem com escovas ou esponjas duras. Também não gosta muito de detergente, nem de sabão. Além de deixarem as peças foscas, esses produtos têm cheiro e sabor que impregnam facilmente no cristal.

cristais oxford

Como lavar?

A essa altura, você deve estar pensando: “Então como é que eu lavo meus copos e taças, Micaela?”. O ideal é limpar resíduos de batom com um guardanapo e depois lavar apenas com água morninha, que ajuda a eliminar resíduos de gordura. Se você torce o nariz só de pensar nisso, dilua uma ou duas gotas de detergente neutro em uma xícara de água e umedeça uma esponja bem macia nessa mistura. Passe-a com extremo cuidado nas peças e enxague várias vezes em água morna.

Como secar?

Vire taças, copos e vasos de cabeça para baixo sobre uma toalha. Depois que a água tiver escorrido um pouco, coloque-os de pé e, para dar brilho, passe um algodão com vinagre branco por dentro e por fora. Então seque com um pano bem macio e que não solte pelo, como os de microfibra, ou use papel toalha.

Como devolver o brilho?

A dica é mergulhar as taças por alguns minutos em uma vasilha com água morna e vinagre branco. Depois seque como eu expliquei acima.

Agora me diz uma coisa: você sabe como soltar um copo preso dentro de outro? Pois a vovó Risoleta sabe e me ensinou isso também! É moleza: basta colocar o copo de baixo em um recipiente com água quente e encher o copo de cima com água fria. Rapidamente eles vão se desprender.

E se na hora de guardar os copos no armário não houver outro jeito a não ser por um dentro do outro, antes envolva cada um deles em papel de seda. Assim as peças não vão grudar. Mas o ideal, é ter uma cristaleira com várias divisórias e de vários tamanhos diferentes, pra você acomodar todos os tipos de louça!

Agora que você já sabe como guardar suas louças, aprenda também a manter a bancada da pia da cozinha sempre em ordem! É só clicar aqui!

Essas são as minhas dicas de hoje, minhas e da vovó, aliás!

Beijos,
Mica – e vovó Risoleta!♥

Imagens: iStock-ViktorCap/Ederson Seiffert

Kit personalizado de ferramentas Só com martelo e chaves de fenda não se faz muita coisa em casa. Veja o que mais vale a pena ter!

0
Caixa de ferramentas, com ferramentas dentro

Adoro ver a Alê Monteiro, a faz-tudo do Santa Ajuda, fixando prateleiras, trocando torneiras e consertando luminárias. Eu mesma gosto demais de colocar a mão na massa e mantenho em casa uma caixa de ferramentas que vários amigos invejam.

E como eu acho que todo mundo deve estar preparado para pequenas emergências domésticas, incluí um tópico sobre o kit básico de ferramentas no meu livro. Porque ninguém precisa ficar dependendo do zelador ou do vizinho, né não?

Depois de trocar umas ideias com a Alê, eu resolvi não só citar a listinha de utensílios neste post, como explicar para que eles servem. Vamos ver?

Chaves e mais chaves!

Chaves de fenda coloridas posicionadas uma ao lado da outra

De fenda e Philips (aquela com ponta em cruz): elas são essenciais, pois ajustam desde parafusos de móveis a trincos de porta. Tenha uns dois tamanhos de cada uma – se preferir, compre aqueles kits que vêm com um cabo e diferentes pontas para você encaixar.

De grifo: é muito útil, principalmente na hora de trocar a torneira.

De teste: mostra se há ou não corrente elétrica em uma instalação.

Alicates

Alicate com cabo vermelho

Universal: o modelo mais comum é também o mais versátil, pois dá conta de apertar e desapertar porcas e parafusos, além de cortar fios elétricos. Ou seja, faz as vezes de alicates de pressão e de bico.

De corte: específico para cortar pedaços de um fio derretido, por exemplo.

Desencapador: “pode ser substituído por outros, mas é tão mais prático e desencapa tão direitinho o fio que eu acho que vale a pena ter”, afirma a Alê.

Outras ferramentas manuaisMartelo com cabo de madeira

Martelo de carpinteiro: é o melhor, porque inclui uma cunha para arrancar pregos.

Arco de serra: use-o para cortar ou serrar PVC, metais, madeira e derivados.

Equipamentos e seus acessórios

furadeira verde

Furadeira: as de impacto encaram melhor as superfícies de concreto.

Brocas: invista em jogos com brocas para concreto, azulejo, metal e madeira, em diversos tamanhos.

Parafusadeira: torna muito mais rápida a montagem de um móvel e a execução de outros trabalhos delicados.

Pistola de cola quente: serve para arrumar pés em falso de mesas e cadeiras, fixar cabos…  A Alê costuma aplicar bolinhas de cola quente onde a maçaneta da porta bate na parede – assim ela evita estragos na pintura.

Fitas

fitas coloridas enfileiradas

Isolante: para reparos elétricos. Antes apenas preta, agora também oferece versões branca e coloridas.

Crepe: limita os espaços a serem pintados e serve para marcar os pontos onde a furadeira será usada.

Veda rosca: é aquela branca bem fininha, usada em qualquer tipo de instalação hidráulica.

Para sua proteção e comodidade

grampo de roupa vermelho

Pregador de roupa: segure o prego com ele enquanto bate o martelo. Seus dedos agradecem!

Luvas: uso para tudo, principalmente as de látex. Mas quando é preciso proteger mais as mãos, as de algodão são mais indicadas.

Óculos de proteção e máscara: dependendo do serviço.

Filtro de café: vai usar a furadeira? Transforme um filtro de papel em coletor de pó e reduza a sujeira. Basta fixá-lo abaixo do futuro furo (usando um pedaço de fita crepe) e mantê-lo aberto. Essa dica ótima é da Joana, dona de um home office que eu organizei em um dos episódios do Santa Ajuda.

De tudo um pouco

pregos

Pregos, parafusos, ganchos e buchas: seja generoso na variedade de tamanhos.

Extensão elétrica

Tesoura e estilete

Nível: indica se quadros, prateleiras e outras coisas que for pendurar estão retos.

Trena: com uma de 3 m você mede tudo.

fita metrica

Régua: ela ajuda a traçar linhas na parede.

Lápis e borracha

Panos

Lubrificante/limpador: produto do tipo WD-40, que serve para limpar as ferramentas e lubrificar dobradiças.

Lanterna: mantenha uma na maleta de ferramentas e você nunca mais precisará pensar onde ela está.

lanterna

Maleta: defina o tamanho conforme os itens que deseja guardar nela. E, como lembrou a Alê, escolha um modelo com trava caso haja crianças em casa.

Este post é ou não é daqueles que a gente imprime e leva para o home center?! Mãos à obra! Me conta nos comentários o que você sempre acha indispensável pra maleta de ferramentas!

Um beijo,
Mica ♥

Imagens (em ordem): Levent Konuk/iStock; FreeImages.com/Metin Ozdemir; FreeImages.com/Yaroslav B; FreeImages.com/Ronaldo Taveira; Reprodução; FreeImages.com/Ove Topfer; FreeImages.com/Michael Faes; FreeImages.com/Krzysztof Szkurlatowski; FreeImages.com/Pascal Thauvin; FreeImages.com/Oscar Gonzalez

Receitas da Vovó: papo de anjo com calda de rum Hoje a Vovó Risoleta nos ensina uma receita saborosa e com gostinho de infância! Vem ver como se prepara o papo de anjo!

0
Receita de papo de anjo da vovó risoleta

Tem coisa que é mais “cara de vó” do que papo de anjo?! Não, né! Por isso, hoje a Vovó Leleta vem compartilhar a sua receita de papo de anjo (ou melhor: papão de anjo) com calda de rum.

Assim como a maioria das receitas à base de ovos, o papo de anjo também tem origem portuguesa. A gente já sabe que, na época, sobravam muitas gemas em excesso e, para evitar o desperdício, freiras e monges inventaram receitas doces com essas gemas (nós contamos essa história aqui). O papo de anjo recebeu esse nome justamente porque foi criado em um convento!

Mas chega de papo! Pega o papel e a caneta e anota tudo!

Ingredientes:

12 gemas;
2 colheres de sopa de farinha de trigo;
4 claras;
1 colher de copa de fermento

Calda

1/2 quilo de açúcar cristalizado;
2 copos de água;
gotas de baunilha;
2 cálices de Rum

Apesar da receita ter a calda, é opcional incluí-la ou não.

Modo de fazer

  1. Faça com o açúcar, a água e a baunilha uma calda em ponto de fio. Depois de pronta, retire do fogo e acrescente o rum. Reserve;
  2. Bata as claras em neve até adquiri consistência, sempre batendo, adicione as gemas uma de cada vez e continue a bater na batedeira, por aproximadamente 20 minutos ou até dobrar o volume. Adicione lentamente a farinha de trigo já misturada com o fermento;
  3. Deite em forma de canudo untada com bastante manteiga e polvilhada com farinha de trigo. Asse em forno quente;
  4. Aqueça de novo a calda e assim que o papão estiver assado, deite sobre o mesmo toda a calda fervente;
  5. Desenforme morno e sirva com geleia de damasco, morango ou ameixa

E aí, curtiu?! Que tal dar uma espiada na receita da semana passada e montar um café da tarde gostosinho?! Clique aqui!

Beijos,
Mica e Vovó ♥