Como combinar os pratos – na parede! Eles representam uma forma muito pessoal de decorar, um jeito de contar uma história.

Pessoas que viram um post recente com dicas para pendurar quadros nas paredes, me escreveram pedindo para falar sobre o uso de pratos na decoração. Para mim, decorar é personalizar o lar. E não há maneira melhor de fazer isso do que com itens queridos, como os pratos que pertenceram a um membro da família ou que a gente mesmo juntou ao longo dos anos.

A primeira pergunta que surge é: como se fixa um prato na parede?

Bem, isso é simples. A forma mais segura é com um suporte específico que permite pendurar a peça em um prego, como se fosse um quadro. Ele se chama aranha e vem em vários tamanhos. Possui molas e, quase sempre, quatro pontos de apoio para o prato.

Fotos: Divulgação

A aranha é facilmente encontrada em lojas físicas e online de decoração, mas, se quiser, você pode fazer a sua seguindo este passo a passopostado pelo blog Vila do Artesão.

Resolvida a dúvida básica, vem a seguinte: só a sala de jantar e a cozinha podem ser decoradas com pratos?

Não! Fique à vontade para exibir sua coleção em quase toda a casa. Evite apenas o banheiro, por causa da umidade e da variação de temperatura, e a varanda, devido à possível incidência direta de sol. Essas exceções, aliás, também valem para quadros.

De resto, assim como acontece com qualquer arranjo decorativo, o único limite é a sua criatividade. Você pode misturar cores, tamanhos, formatos e materiais, e até criar uma combinação com outros objetos, como bastidores de bordar. Só é importante buscar um resultado harmonioso.

Para isso, considere os pratos e a superfície em que serão agrupados. “Se os pratos forem muito decorados, é melhor escolher um fundo neutro. Caso contrário, a parede pode até ter cor ou uma textura suave, que vão dar destaque e emoldurar o conjunto”, apontam as arquitetas Ana Cristina Tavares e Claudia Krakowiak Bitran, do escritório KTA, que montaram a composição da sala abaixo:

Foto: KTA Divulgação

A disposição dos pratos depende, claro, do seu gosto, mas também do clima que você pretende obter com a decoração. “Ambientações sérias e sóbrias podem receber uma composição organizada, simétrica. Por outro lado, espaços despojados normalmente pedem paredes com mais movimento, e conseguimos isso com a assimetria na distribuição das peças”, explica a arquiteta Nadja Bonan, do Oficina 11.11, autora do arranjo acima.

Foto: Oficina 11.11/Divulgação

Agora que só falta colocar a mão na massa, confira no post dos quadros as dicas sobre moldes para visualizar a composição, tipos de pregos e parafusos e até jeitos de não machucar o dedo nem sujar todo o ambiente ao usar a furadeira – todas essas orientações valem também na hora de pendurar os pratos.

Bom DIY!

Beijos,
Mica ♥

Deixe seu comentário