Aprenda a cuidar das plantas do jardim no inverno – parte 1 Molhar menos e podar apenas as partes secas, como folhas e galhos, são determinantes para a saúde do jardim

0
Jardim com banco, canteiro e vasos

Nesta época do ano, boa parte das espécies vive um período de repouso, por isso a gente acaba tendo menos trabalho para manter canteiros e vasos. Mas não é por isso que você vai descuidar de suas companheiras verdinhas, hein?

A engenheira agrônoma Aline Zoia e a paisagista Viviane Moreno, da Hortelar, separaram tantas dicas boas para dividir com a gente que o jeito foi escrever dois posts sobre o assunto. Neste aqui, os ensinamentos são sobre rega e poda. E no próximo post, eu farei a parte 2, com cuidados em relação a solo, vento, pragas e fungos.

Vamos aos temas de hoje!

Rega

  1. Molhe as plantas no início da manhã para ter menos incidência de fungos.
  2. A água demora mais a evaporar no frio, razão pela qual deve-se diminuir a frequência de rega. Assim você evitará que a terra encharque e a as raízes apodreçam.
  3. Sabe qual a forma mais garantida de descobrir se a planta precisa ou não ser molhada? Enfie o dedo no solo – aprofundando mesmo! – e sinta se ele está úmido.
  4. Se você tiver medo de matar suas plantas de sede ou de desidratação, use um gotejador, mecanismo que libera a água aos pouquinhos. Em jardins maiores, valem aqueles ligados a mangueiras. Já para vasos bastam os acoplados a uma garrafa PET, como este aqui:
    Gotejador para vasos acoplado a uma garrafa PET

    Poda

  5. O inverno é a época certa para realizar a chamada poda de limpeza: retire galhos e folhas secas para arejar a planta. Partes doentes ou com pragas também caem fora. “Sempre corto logo acima do nó [como na ilustração abaixo], o ponto de onde saem folhas ou ramos, favorecendo a brotação. Se eu deixo um pedaço do galho ou do ramo acima do nó, ele vai secar e a planta não rebrotará naquela área”, alerta Aline.infográfico ilustrando como podar corretamente
  6. Evite podar as espécies que florescem no inverno, como azaleia, camélia e ipês – sem querer, você pode acabar cortando o botão floral.
  7. Podas de árvores cabem às prefeituras, mas você pode remover galhos secos finos, de até 5 cm de diâmetro. Nesses casos, Aline recomenda passar um pouco de pasta bordalesa no trecho restante a fim de evitar o aparecimento de fungos e pragas e até um eventual apodrecimento da árvore. “Essa pasta, que é permitida pela agricultura orgânica, pode ser feita em casa, mas é bem mais fácil comprar o pó pronto para diluição. A pasta não é nada mais que uma calda bordalesa concentrada.”

Como eu já falei, ainda há outros cuidados a tomar com o jardim, mas só de acertar na quantidade de água e na limpeza das folhas mortas você já fará maravilhas pelas suas plantas.

Boa jardinagem!

Beijos,
Mica ♥

 Imagens: iStock/Hortelar/Raphel Amaral

Receitas da vovó: Empadinha de Queijo Aprenda a fazer uma empadinha de queijo sensacional com a receita da Vovó Risoleta.

0
Receitas da vovó: Empadinha de Queijo

Boas coleções de receitas se fazem com contribuições de grandes amigos também! E com a Vovó Risoleta, não poderia ser diferente! A receita de Empadinha de Queijo, de hoje é da Vanda Coutinho, uma grande amiga da minha avó.
Deliciosa e super prática, essa receita leva poucos ingredientes e até quem não manja muito de cozinha vai amar! E aí, bora botar a mão na massa? Então anota: 

Ingredientes:

  • Para a massa:

> 7 colheradas de farinha de trigo;
> 1 gema;
> 100 gramas de margarina;
> 1 pitada de sal.

  • Para o recheio:

> 2 xícaras de queijo ralado;
> 3 ovos;
> 1 colher de manteiga derretida;
> 1 copo de leite.

Modo de fazer:

  1. Amasse bem todos os ingredientes com as mãos até ficar uma massa úmida e macia;
  2. Bata as claras em neve, junte as gemas, o leite e o queijo;
  3. Espalhe a massa nas forminhas, pressionando com os dedos;
  4. Deve ficar fina o suficiente para forrar;
  5. Colocar o recheio raso porque quando for ao forno, irá subir.

Conta pra gente o que você achou dessa receita! Ah, e aproveita e dá uma espiada na receita de Torta de Banana da semana!

Beijos,
Mica e vovó Risoleta ♥

 

Cabides e mais cabides Conheça a função de cada tipo e deixe seu armário mais arrumado

2
Armário mais arrumado com cabides

Você já parou para observar a variedade de cabides disponíveis nas lojas? E eu não estou falando somente da diversidade de materiais, não. Além dela, ainda há uma ampla gama de modelos, com diferentes formas e reentrâncias. Só o que eu te digo é: até um acessório tão banal quanto um cabide tem as suas peculiaridades.

Bora saber quais são?

Eu proponho começar essa viagem ao surpreendente mundo dos cabides pelos materiais. E aviso logo: não reaproveite aqueles enviados pelas lavanderias, só de arame ou de arame encapado. Eles são muito fininhos e podem deformar suas roupas, além de aguentarem apenas peças leves.

Opte pelos de plástico ou acrílico, mais resistentes, e, se puder investir nos de madeira, melhor. Há, ainda, os de veludo, que são, na verdade, feitos de plástico com revestimento aveludado – seu diferencial está em não deixar que as roupas escorreguem.

Tenha em mente que o cabide precisa acompanhar o tamanho das peças que sustenta. Logo, há versões para bebês, crianças e adultos. Seu filho cresceu e as camisetas não param mais nos cabides infantis? Tá na hora de doar esses acessórios e adquirir substitutos maiores.

Pendure uma roupa em cada cabide. Se for um conjunto, pendure ambas as peças.

Agora passemos aos modelos.

Alguns são polivalentes: servem para camisas, pois as pontas mais larguinhas evitam vincos nos ombros; têm fendas ou ganchinhos que encaixam blusas de alcinha; e acomodam calças no varão inferior. Aqui, um exemplo de madeira, um de acrílico e outro de veludo.

Cabide simples e calça
cabide acrilico bom
cabide veludo pret

as versões com presilhas são para saias, assim como o chamado modelo de pressão, o terceiro nas fotos abaixo. Atenção: para que não marquem a roupa, devem ser protegidos internamente por feltro.

Cabide simples e saia
cabide saia
cabide saia pressão

Se as extremidades do cabide forem robustas e anatômicas, ele será para paletós, casacos e outras roupas estruturadas. Para pendurar ternos, opte por um modelo que tenha também o varão para calça. Abaixo, exemplos de veludo, madeira e plástico.

cabide terno veludo
cabide terno
cabide anat terno plastico

E você ainda encontra por aí cabides para duas ou três calças, para gravatas, cintos, lenços e até para sapatos!

Agora que você já sabe tudo sobre esse acessório, vou repetir o que já falei inúmeras vezes em posts, programas de TV e reportagens: padronize os cabides.

Eu juro que não é frescura. Quando a gente mistura um monte de tipos, o que acontece é que algumas roupas ficam mais altas e outras mais baixas e isso dá uma sensação horrível de bagunça.

Usando cabides de uma única cor, de um único material e de um único modelo (com suas variações conforme o tipo de roupa), você vai visualizar facilmente as peças no varão e encontrar rapidamente aquela que deseja, acredite.

Se não puder comprar todos os cabides de uma só vez – afinal de contas, irá um bom dinheiro aí –, adote um modelo fácil de encontrar, vá adquirindo aos poucos e substituindo os velhos. Uma hora todos serão iguais.

Caso você divida o armário com outra pessoa, a dica é escolher um só modelo, porém em duas cores. Você fica com os brancos, por exemplo, e o seu marido com os pretos. No guarda-roupa das crianças, uma fica com os azuis e a outra com os beges.

Certo? Entendeu tudo direitinho? Quero só ver o que você vai fazer com todas essas dicas!

Beijão e até o próximo post,
Mica

O que colocar sobre a pia da cozinha? Somente o mínimo! Com a bancada liberada, é muito mais fácil e higiênico preparar a comida

0
cozinha clean com bancada organizada

Há poucas semanas eu escrevi aqui sobre como arrumar o gabinete sob a pia. E agora chegou o momento de falar sobre o que vai em cima dela. Confusão de coisas atrai confusão de ideias. Por isso eu sempre digo que as áreas de trabalho precisam ficar desobstruídas. Isso vale para o home office, para a escrivaninha do seu filho, para a lavanderia e, claro, para a cozinha.

Entre os pouquíssimos itens que eu admito na minha bancada da pia está o kit de lavagem da louça. Eu não acho legal lavar copos e panelas com a mesma esponja, porque a gordura presente em um pode passar para o outro e deixar cheiro.

Eu sugiro que você sempre tenha duas esponjas em uso: amarela ou verde, por exemplo, para pratos, panelas, travessas e talheres, e outra, azul ou lilás, para copos, xícaras e taças. Se forem da mesma cor, nenhum problema: com uma caneta hidrográfica de ponta grossa, escreva em cada uma a sua finalidade.

conjunto com 3 esponjas, uma amarela, uma azul e uma verde

Mesmo separando as esponjas, você precisa saber que elas podem concentrar milhares de bactérias e fungos. Milhares mesmo, não estou exagerando! Portanto, é preciso higienizá-las com frequência. Em casas onde se cozinha todo dia, faça isso diariamente. Primeiro lave-as com água e sabão e, em seguida, coloque-as em uma panela com água e deixar ferver por 10 minutos no fogão. Se preferir, use o microondas na potência alta por 2 minutos. Depois, esprema bem e mantenha as esponjas secas. E, claro, troque-as sempre que perceber que estão ficando desgastadas.

Use um organizador para colocar os acessórios de limpeza, o sabão em barra e o detergente. Nem todo mundo tem esse hábito, mas eu gosto de deixar um sabonete líquido na pia para lavar as mãos antes, durante e depois de preparar a comida.

Louça enxaguada pede um escorredor. Escolha o seu pensando no número de pessoas que moram na casa e enquanto se cozinha. Se você dispuser de uma lavadora de louças, provavelmente bastará um escorredor pequeno.

Procure deixar no máximo esses itens sobre a bancada. Desimpedida e seca – use sempre um rodinho! –, ela dará um bem-vindo ar de limpeza e organização à sua cozinha.

Sentiu falta da lixeirinha de pia? Ela é prática, é verdade, mas cortar, lavar e preparar alimentos ao lado do lixo não é muito higiênico – o risco de contaminação da comida é grande. Prefira uma lixeira com pedal, que você apoia no chão e aciona com o pé. 

Gente, a lição de hoje foi simples, hein? Então, mãos à obra!

Beijos,
Mica

Imagens: iStock e Reprodução